sicnot

Perfil

Mundo

Grécia inicia semana de greves com novos protestos de agricultores

Os agricultores gregos bloquearam esta segunda-feira a autoestrada entre Atenas e Salónica, as duas principais cidades do país, na segunda semana de protestos contra a reforma das pensões, que inclui uma greve geral na quinta-feira e diversas manifestações.

Os agricultores gregos ergueram dezenas de barricadas por todo o país e pretendem unir-se às manifestações na capital durante a greve geral de quinta-feira.

Os agricultores gregos ergueram dezenas de barricadas por todo o país e pretendem unir-se às manifestações na capital durante a greve geral de quinta-feira.

YANNIS KOLESIDIS / LUSA

Os representantes do "quarteto" de credores internacionais iniciaram hoje em Atenas a primeira revisão do terceiro resgate, devendo manter-se na capital da Grécia cerca de uma semana.

Os agricultores gregos ergueram dezenas de barricadas por todo o país e pretendem unir-se às manifestações na capital durante a greve geral de quinta-feira.

As paralisações contra a reforma das pensões também alastraram a outros setores. Os transportes públicos deverão registar perturbações na terça-feira e quinta-feira, os taxistas anunciaram que não vão conduzir e as bombas de gasolina e ligações ferroviárias de longo curso deverão estar fora de serviço, coincidindo com a greve geral.

Os media gregos entram em greve na quarta-feira, para poder fazer a cobertura da jornada de protesto do dia seguinte.

Em paralelo, a Federação dos marinheiros da Grécia anunciou nova paragem de 48 horas para 4 e 5 de fevereiro.

A greve de quinta-feira será a terceira sob o Governo de Alexis Tsipras e a primeira de 2016, e foi convocada pelos principais sindicatos do país contra a reforma das pensões, que prevê cortes nas prestações e aumento das contribuições.

Apesar de a proposta do Governo de coligação dominado pelo partido de esquerda Syriza pretender evitar cortes nas principais reformas e pensões, prevê uma redução nas suplementares e um aumento das contribuições.

No entanto, os credores estão a exigir cortes mais severos.

Desde o início da crise da dívida na Grécia em 2009 que as pensões constituem o principal sustento da maioria das famílias neste país.

Segundo um estudo empresarial, as reformas e pensões são a principal fonte de rendimento para 51,8% dos domicílios, mais 10% em comparação com 2012.

Lusa

  • Assalto à base militar de Tancos
    0:42

    País

    Várias granadas e munições foram roubadas dos paióis da base militar de Tancos. A Polícia Judiciária Militar já está a investigar.

  • Detido antigo diretor regional do BES na Madeira

    Queda do BES

    Foi detido o antigo diretor do Banco Espírito Santo da Madeira, no âmbito do chamado processo ao Universo GES. João Alexandre Silva tinha sido também o representante do BES na Venezuela, onde a instituição portuguesa abriu várias agências em diversas cidades e tinha cerca de 7600 clientes domiciliados.

    Notícia SIC

  • Couves, arroz integral e bróculos biológicos com pesticidas sintéticos
    2:29
  • ASAE apreende leite com água oxigenada para fabrico de queijo

    Economia

    A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) apreendeu leite com água oxigenada, destinado ao fabrico de queijo. As investigações decorreram nos últimos dois meses e foram dirigidas a vários produtores de leite. As investigações iniciaram-se com a deteção de uma viatura para transporte do leite sem qualquer sistema de refrigeração.

  • Crise na Venezuela faz aumentar casos de desnutrição infantil
    2:13
  • Mulher mata namorado em brincadeira com arma no Youtube

    Mundo

    Uma mulher do Minnesota, nos EUA, está a ser acusada de disparar mortalmente sobre o namorado quando ambos faziam um vídeo para publicar no Youtube. Monaliza Perez, de 20 anos, foi detida depois de disparar sobre Pedro Ruiz, que segurava um livro junto ao seu peito, confiante que seria o suficiente para parar a bala.

  • Comissão Europeia adota plano contra resistência a antibióticos

    Mundo

    A Comissão Europeia adotou, hoje, um plano para combater a resistência aos antibióticos, uma ameaça que mata anualmente 25 mil pessoas na União Europeia (UE) e custa 1,5 mil milhões de euros. Em paralelo ao plano, apresenta ainda regras para um "uso prudente de antibióticos".