sicnot

Perfil

Mundo

ONU adverte para eventual fracasso das negociações de paz na Síria

O enviado especial da ONU para a Síria, Staffan de Mistura, advertiu na terça-feira para a possibilidade de um "fracasso" das negociações de paz que decorrem em Genebra, cujo início ficou marcado pela dificuldade de reunir os beligerantes.

Escombros após ataque atribuído à força aérea russa em Douma, síria.

Escombros após ataque atribuído à força aérea russa em Douma, síria.

© Bassam Khabieh / Reuters

Apesar de o emissário das Nações Unidas ter declarado oficialmente lançadas as negociações, o dia de terça-feira deu uma imagem de confusão, ilustrando o fosso entre a diplomacia e a realidade no terreno.

Por um lado, o regime sírio afirmou não dispor de qualquer parceiro para negociar, enquanto, por outro, a oposição exigiu medidas imediatas em prol dos civis e também acusou a comunidade internacional de ser "cega" relativamente à tragédia.

Staffan de Mistura alertou, por isso, para um eventual malogro em Genebra, após cinco anos de conflito.

"Se houver um fracasso desta vez (...) não haverá mais esperança", declarou à rádio e televisão suíças.

A delegação do regime de Damasco reuniu-se, ao longo de mais de duas horas, com o emissário das Nações Unidas, que, na segunda-feira, se encontrou com a oposição.

No entanto, à saída da reunião, o embaixador sírio junto das Nações Unidas, Bashar al-Jaafari, chefe da delegação, travou as esperanças relativamente a um rápido arranque nas negociações.

"Estamos ainda na fase preparatória (...). Estamos à espera de saber com quem vamos negociar e qual a ordem do dia", declarou, repetindo que a outra parte "não é séria", pois "não trata as questões como políticos profissionais".

A delegação do Alto Comité de Negociações (HCN), uma coligação de opositores do regime do Presidente sírio, Bashar Al-Assad, teceu, por seu turno, fortes críticas a Damasco e aos seus aliados, que consideram como "terroristas" alguns dos seus membros.

A oposição síria decidiu na terça-feira não participar numa reunião agendada para Genebra com o enviado especial da ONU, em jeito de protesto contra o agravamento da situação no país.

O conflito na Síria, que começou com protestos pacíficos em março de 2011 que resvalaram para uma guerra civil, já provocou mais de 260 mil mortos, o desenraizamento de mais de metade da população e arruinou o país.

O Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH), que assenta numa larga rede de fontes no país, assegurou que 260.758 pessoas foram mortas entre março de 2011 e 31 de dezembro de 2015, na sua maioria combatentes, com as baixas civis a excederem a 76 mil.

Estes totais excluem os milhares que desapareceram, designadamente nas infames prisões sírias, e as centenas de lealistas que desapareceram às mãos dos grupos rebeldes radicais, incluindo o autoproclamado Estado Islâmico.

Lusa

  • "Há uma grande diferença em relação à anterior liderança do PSD"
    14:29

    País

    O ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, esteve esta quarta-feira na Edição da Noite da SIC Notícias. As novas relações com o PSD e a reprogramação do Portugal 2020 foram alguns dos temas de conversa. Pedro Marques defende que existe "uma grande diferença" entre as lideranças de Passos Coelho e Rui Rio no PSD.

    Entrevista SIC Notícias

  • Dia de homenagens e muito futebol para Marcelo em São Tomé
    3:01

    País

    No segundo dia da visita de Estado a São Tomé e Príncipe, o Presidente da República prestou homenagem às vítimas do massacre de Batepá, em 1953. Marcelo Rebelo de Sousa não pediu desculpa pela história, mas lembrou que é preciso assumir as coisas menos boas do passado. O dia terminou com o Presidente a mostrar que ainda está em forma.

    Enviados SIC

  • Patinadora enfrenta "pesadelo" nos Olímpicos

    Desporto

    A patinadora Gabriella Papadakis enfrentou na segunda-feira um dos "piores pesadelos" da sua vida, durante a estreia nos Jogos Olímpicos de Inverno, em Pyeongchang, na Coreia do Sul. Durante a apresentação, a parte de cima do vestido da francesa saiu do lugar e revelou parte do seu seio. Mas este não foi o único caso de incidentes com figurinos. Também a sul-coreana Yura Min quase ficou despida durante a sua apresentação.

    SIC

  • Casal mantinha filhos trancados sem comida

    Mundo

    Se pensava que só existia uma casa dos horrores, a da família Turpin, desengane-se. A polícia de Tucson, no estado norte-americano do Arizona, deteve na terça-feira um casal que mantinha os quatro filhos adotivos trancados em quartos separados.

    SIC

  • Pigcasso, a porca pintora que tem uma galeria de arte

    Mundo

    O nome sugere o talento da artista que vive na Cidade do Cabo, na África do Sul. Pigcasso estava prestes a morrer, quando foi resgatada por uma ativista que a ajudou a enveredar pelo caminho da pintura. Desde pequena começou a pegar em pincéis e agora é o primeiro animal do mundo com uma galeria de arte, onde já lançou a sua primeira exposição intitulada 'Oink!'.