sicnot

Perfil

Mundo

Ameaça de bomba no aeroporto de Madrid foi falso alarme

O Ministério do Interior espanhol confirmou que a ameaça de bomba no interior de um avião da companhia Saudi Airlines, que obrigou esta quinta-feira a decretar um "alerta geral" no aeroporto internacional de Madrid-Barajas, foi um falso alarme.

O alerta foi acionado quando foi encontrado um papel com uma mensagem escrita na sala de oração no interior do aparelho da Saudi Airlines.

O alerta foi acionado quando foi encontrado um papel com uma mensagem escrita na sala de oração no interior do aparelho da Saudi Airlines.

© Andrea Comas / Reuters

O alerta foi acionado quando foi encontrado um papel com uma mensagem escrita na sala de oração no interior do aparelho da Saudi Airlines, segundo fontes da investigação, citadas pela agência noticiosa espanhola EFE.

O voo com destino a Riade estava previsto descolar às 10:30 hora local e no papel encontrado podia ler-se a frase "11:30 bomba".

Fontes da Guarda Civil espanhola precisaram que o comandante da companhia aérea saudita avisou os serviços de emergência do aeroporto, tendo sido ativado o protocolo habitual para este tipo de incidentes.

Os passageiros foram retirados do local e o avião foi conduzido para uma pista remota do terminal, onde os especialistas da Guarda Civil inspecionaram o aparelho.

Após os trabalhos de inspeção, os agentes não encontraram nenhum objeto suspeito no interior do aparelho, indicaram as mesmas fontes, que acrescentaram que a investigação vai prosseguir para esclarecer a identidade do autor da nota escrita com a ameaça de bomba.

Toda a bagagem de mão foi revistada, bem como recolhidas as impressões digitais da tripulação e de todos os passageiros.

A ministra do Fomento espanhola, Ana Pastor, assegurou entretanto que o funcionamento do aeroporto internacional Adolfo Suárez Madrid-Barajas recuperou a "normalidade" depois da desativação do alerta, que inicialmente teve um caráter geral e que posteriormente foi apenas circunscrito ao local.

No voo SVA226 da Saudi Airlines viajavam 97 passageiros e 15 elementos da tripulação.

Lusa

  • Um retrato devastador do "pior dia do ano"
    2:47
  • Um olhar sobre a tragédia através das redes sociais
    3:22
  • "Estão a gozar com os portugueses, esta abordagem tem de mudar"
    6:45

    Opinião

    José Gomes Ferreira acusa as autoridades e o poder político de continuarem a abordar o problema da origem dos fogos de uma forma que considera errada. Em entrevista, no Primeiro Jornal, o diretor adjunto da SIC, considera que a causa dos fogos "é alguém querer que a floresta arda". José Gomes Ferreira sublinha que não se aprendeu com os erros e que "estão a gozar com os portugueses".

    José Gomes Ferreira

  • "Os portugueses dispensam um chefe de Governo que lhes diz que isto vai acontecer outra vez"
    6:32

    Opinião

    Perante o cenário provocado pelos incêndios, os portugueses querem um chefe de Governo que lhes diga como é que uma tragédia não volta a repetir-se e não, como disse António Costa, que não tem uma fórmula mágica para resolver o problemas dos fogos florestais. A afirmação é de Bernardo Ferrão, da SIC, que questiona ainda a autoridade da ministra da Administração Interna para ir a um centro de operações, uma vez que é contestada por toda a gente.

  • Portugal precisa de "resultados em contra-relógio, após décadas de desordenamento florestal"
    1:18