sicnot

Perfil

Mundo

Russos questionam imparcialidade do secretário-geral da ONU

A Federação Russa questionou hoje a imparcialidade do secretário-geral da Organização das Nações Unidas, Ban Ki-moon, por este a responsabilizar pela interrupção das discussões sobre a paz na Síria.

1970 - Assembleia Mundial da Juventude. 110 Países da ONU aprovam a moção que condena "a guerra contra os povos de Angola, Guiné e Moçambique", sob administração portuguesa.

1970 - Assembleia Mundial da Juventude. 110 Países da ONU aprovam a moção que condena "a guerra contra os povos de Angola, Guiné e Moçambique", sob administração portuguesa.

Osamu Honda

"Pensámos sempre que os comentários do dirigente máximo de uma organização mundial devem manter a imparcialidade e a objetividade. Neste caso, isso claramente não aconteceu", afirmou a porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros russo, María Zajarova, em comunicado.

Ban Ki-moon "praticamente responsabilizou a Federação Russa da deriva das negociações sírias em Genebra e da degradação da situação humanitária no país", acrescentou.

Em declarações ao diário Financial Times, o dirigente da ONU declarou que, "assim que a reunião [de Genebra] foi convocada, continuaram os bombardeamentos russos e começou a ofensiva terrestre em Alepo".

Desde que o mediador da ONU, Staffan de Mistura, anunciou na quinta-feira o adiamento das negociações de Genebra até ao próximo dia 25 que todos os olhares se dirigiram para a Federação Russa, o principal aliado do regime sírio do Presidente Bachar al-Assad.

Depois de semanas de uma aproximação gradual entre os EUA e a Federação Russa, o secretário de Estado norte-americano, John Kerry, acusou os russos de bombardearem de maneira indiscriminada as zonas controladas pelos opositores a Al-Assad e pediu ao Kremlin que declarasse um cessar-fogo imediato.

O secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, foi mais longe e acusou os russos de, com os bombardeamentos aéreos, estarem a "minar os esforços para encontrar uma solução política para o conflito".

Em reação, um porta-voz do Ministério da Defesa russo, Igor Konashénkov, disse, no domingo, que estas considerações eram "uma tontice", uma vez que, justificou, "graças às ações das forças aéreas russas, em poucos meses, os sírios acreditaram que, apesar de tudo, é possível combater e eliminar o terrorismo internacional no seu país".

Lusa

  • Rúben Lima nega crimes de corrupção no processo Cashball
    6:04

    Desporto

    Rúben Lima, um dos 8 jogadores suspeitos de terem sido aliciados por intermediários ao serviço do Sporting para beneficiar o clube de Alvalade, nega todos os crimes investigados pela Polícia Judiciária. Numa entrevista exclusiva à SIC, o jogador do Moreirense garante que não conhece nenhum dos quatro arguidos detidos no âmbito do processo Cashball.

    Exclusivo SIC

  • Partido Podemos com votação inédita em Espanha
    1:32

    Mundo

    Há uma votação inédita em Espanha. O Podemos começou esta terça-feira a decidir a continuidade do líder do partido, depois de Pablo Iglesias e a companheira terem comprado uma casa de 600 mil euros.

  • Rui Rio alerta que violações do segredo de justiça ameaçam democracia
    2:16

    País

    Rui Rio diz que não pede demissões "a cada esquina" e prefere aguardar pelas respostas do ministro Adjunto Siza Vieira, sobre o alegado conflito de interesses com os acionistas chineses da EDP. O líder do PSD esteve esta terça-feira reunido com a direção nacional da Polícia Judiciária, onde defendeu que a violação do segredo de justiça é insustentável e ameaça o regime democrático.

  • Reclusos limpam Ria Formosa
    3:01

    País

    Alguns reclusos do estabelecimento prisional de Olhão estão pela segunda vez a limpar a ilha da Armona, na Ria Formosa. São homens que beneficiam de regime aberto e, em fim de cumprimento de pena, têm com este trabalho uma amostra da liberdade que tanto aguardam.

  • A maior obra de reconversão urbana em Portugal 20 anos depois
    3:47