sicnot

Perfil

Mundo

Cavalos distinguem diferentes emoções em humanos

Os cavalos são conhecidos pela sua estreita relação com os humanos e pelos bons resultados em diversas terapias. Um novo estudo veio agora comprovar que estes animais identificam emoções dos humanos, sendo capazes de distinguir nas expressões faciais, emoções positivas e negativas.

A reação a uma expressão facial de raiva é particularmente clara - um aumento rápido do batimento cardíaco e um movimento da cabeça, de modo a ver apenas com o olho esquerdo.

A reação a uma expressão facial de raiva é particularmente clara - um aumento rápido do batimento cardíaco e um movimento da cabeça, de modo a ver apenas com o olho esquerdo.

https://youtu.be/db-afYwn-50

Uma equipa de psicólogos da Universidade de Sussex, no Reino Unido, elaborou no ano passado um dicionário de expressões faciais que podem ser identificadas por cavalos. Uma compilação que pretendeu demonstrar a capacidade dos equinos em ler o rosto dos humanos.

Este estudo concluiu que a reação dos cavalos acontece não apenas quando os animais estão na presença de pessoas, mas também quando lhes são mostradas fotografias com diferentes expressões de humanos.

Os investigadores referem, na publicação Biology Letters, que foram mostradas a 28 cavalos de diferentes estábulos de Sussex e Surrey várias fotografias de humanos, numas eram exibidos expressões positivas, noutras negativas. Sorrisos sinceros de felicidade alternavam com dentes cerrados e semblantes carregados. Estas fotos foram mostradas aos animais por voluntários que não conheciam o conteúdo das imagens.

O que se concluiu foi que os cavalos conseguiam identificar as diferenças. Perante um rosto zangado, a reação dos animais é clara, mostram-se incomodados, viram a cabeça e o ritmo do seu batimento cardíaco aumenta.

"O que é particularmente interessante, e que é agora demonstrado nesta investigação, é que os cavalos são capazes de ler emoções, mesmo indiretamente. Já se sabia que os cavalos são animais socialmente sofisticados, mas esta é a primeira vez que se comprova que eles distinguem entre expressões faciais positivas e negativas", refere ao jornal britânico The Guardian Amy Smith, da Universidade de Sussex.

"A reação a uma expressão facial de raiva é particularmente clara - um aumento rápido do batimento cardíaco, e um movimento da cabeça, de modo a que seja apenas o olho esquerdo a ver a imagem", adianta Amy Smith ao The Guardian.

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.