sicnot

Perfil

Mundo

Cavalos distinguem diferentes emoções em humanos

Os cavalos são conhecidos pela sua estreita relação com os humanos e pelos bons resultados em diversas terapias. Um novo estudo veio agora comprovar que estes animais identificam emoções dos humanos, sendo capazes de distinguir nas expressões faciais, emoções positivas e negativas.

A reação a uma expressão facial de raiva é particularmente clara - um aumento rápido do batimento cardíaco e um movimento da cabeça, de modo a ver apenas com o olho esquerdo.

A reação a uma expressão facial de raiva é particularmente clara - um aumento rápido do batimento cardíaco e um movimento da cabeça, de modo a ver apenas com o olho esquerdo.

https://youtu.be/db-afYwn-50

Uma equipa de psicólogos da Universidade de Sussex, no Reino Unido, elaborou no ano passado um dicionário de expressões faciais que podem ser identificadas por cavalos. Uma compilação que pretendeu demonstrar a capacidade dos equinos em ler o rosto dos humanos.

Este estudo concluiu que a reação dos cavalos acontece não apenas quando os animais estão na presença de pessoas, mas também quando lhes são mostradas fotografias com diferentes expressões de humanos.

Os investigadores referem, na publicação Biology Letters, que foram mostradas a 28 cavalos de diferentes estábulos de Sussex e Surrey várias fotografias de humanos, numas eram exibidos expressões positivas, noutras negativas. Sorrisos sinceros de felicidade alternavam com dentes cerrados e semblantes carregados. Estas fotos foram mostradas aos animais por voluntários que não conheciam o conteúdo das imagens.

O que se concluiu foi que os cavalos conseguiam identificar as diferenças. Perante um rosto zangado, a reação dos animais é clara, mostram-se incomodados, viram a cabeça e o ritmo do seu batimento cardíaco aumenta.

"O que é particularmente interessante, e que é agora demonstrado nesta investigação, é que os cavalos são capazes de ler emoções, mesmo indiretamente. Já se sabia que os cavalos são animais socialmente sofisticados, mas esta é a primeira vez que se comprova que eles distinguem entre expressões faciais positivas e negativas", refere ao jornal britânico The Guardian Amy Smith, da Universidade de Sussex.

"A reação a uma expressão facial de raiva é particularmente clara - um aumento rápido do batimento cardíaco, e um movimento da cabeça, de modo a que seja apenas o olho esquerdo a ver a imagem", adianta Amy Smith ao The Guardian.

  • Morte de portuguesa no Luxemburgo afinal não aconteceu

    País

    A morte de uma portuguesa em Bettembourg, no sul do Luxemburgo, não terá acontecido. O Jornal do Luxemburgo avançou, esta manhã, que a emigrante portuguesa tinha sido baleada mortamente pelo filho, uma informação entretanto desmentida por outro jornal online. Segundo o Bom Dia Luxemburgo, o que aconteceu foi afinal uma rusga policial.

  • Estamos quase na hora de verão

    País

    Esta madrugada muda a hora. Quando for 1h00, os relógios adiantam para as 2h00. Será uma noite com menos tempo de sono, mas os dias vão ficar mais longos com o chamado horário de verão.

  • Hora do Planeta, apagam-se as luzes para despertar consciências
    2:19
  • Divorciados vão poder dividir filhos no IRS 

    Economia

    Os divorciados vão passar a poder dividir os filhos no IRS (imposto sobre o rendimento singular) e o Governo está a estudar soluções para que em 2018 haja um novo sistema para lidar com a guarda conjunta de filhos.

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Ataques aéreos dos EUA em Mossul podem ter causado a morte de 200 civis
    1:22
  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.

  • Quando o cancro chega por mero acaso
    1:55

    Mundo

    Cerca de dois terços das mutações que ocorrem nas células cancerígenas devem-se ao acaso, segundo um estudo da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos. Em Portugal, o Diretor do Programa Nacional Doenças Oncológicas alerta para a importância de um diagnóstico precoce e um estilo de vida saudável como forma de reduzir a fatalidade.