sicnot

Perfil

Mundo

EUA acusam Ruanda de envolvimento na desestabilização do Burundi

Os EUA acusaram hoje o Ruanda de envolvimento em "atividades desestabilizadoras" no já instável Burundi, incluindo o recrutamento de refugiados para ataques armados contra o Governo.

Mais de 400 pessoas já foram assassinadas durante a crise e mais de 237 mil tiveram de sair do país.

Mais de 400 pessoas já foram assassinadas durante a crise e mais de 237 mil tiveram de sair do país.

© Jean Pierre Harerimana / Reut

As preocupações norte-americanas foram manifestadas na comissão senatorial de Negócios Estrangeiros por dois diplomatas de topo, que mencionaram relatórios de colegas no terreno, que apontam para o envolvimento do Ruanda na crise que se vive no Burundi.

"São relatórios credíveis sobre o recrutamento de refugiados do Burundi em campos no Ruanda, para participarem em ataques armados da oposição do Burundi contra o Governo do Burundi", afirmou Thomas Perriello, enviado dos EUA para a região africana dos Grandes Lagos.

O Burundi mergulhou numa crise política em abril, quando o Presidente, Pierre Nkurunziza, anunciou que se iria apresentar pela terceira vez a eleições presidenciais, o que está proibido pela Constituição e viola os acordos que terminaram com uma guerra civil em 2005.

Segundo a Organização das Nações Unidas, mais de 400 pessoas já foram assassinadas durante a crise e mais de 237 mil tiveram de sair do país, onde Nkurunziza foi reeleito em julho, num processo eleitoral que a comunidade internacional considerou fraudulento.

Lusa

  • Outros casos de fuga de prisões portuguesas
    2:58

    País

    Nos últimos cinco anos, 52 reclusos fugiram de cadeias portuguesas, mas foram todos recapturados. Entre 1999 e 2009, fugiram oito reclusos da prisão de Caxias. Em 2005, um homem condenado a 21 anos de prisão fugiu de Coimbra, viajando por França e pela Polónia. Manuel Simões acabou por ser detido no regresso a Portugal.

  • Portugal sem resposta de Moçambique sobre português desaparecido em Maputo
    1:25

    País

    Portugal tem tentado, sem sucesso, obter respostas das autoridades moçambicanas sobre o rapto de um empresário português há sete meses. De acordo com a notícia avançada este domingo pelo jornal Público, uma carta enviada há duas semanas pelo Presidente da República ao homólogo moçambicano não teve resposta. O Governo de Moçambique tem ignorado pedidos de informação das autoridades portuguesas.

  • Táxi capaz de sobrevoar filas de trânsito ainda este ano no Dubai

    Mundo

    É o sonho de muitos que passam horas intermináveis em filas de trânsito. Trata-se de um drone com capacidade para transportar pessoas. "Operações regulares" deste insólito aparelho terão início em julho, no Dubai. O anúncio foi feito pela entidade que gere os transportes da cidade. Apenas um passageiro, com o peso máximo de 100 kg, pode seguir viagem neste táxi revolucionário, capaz de sobrevoar vias congestionadas pelo trânsito.