sicnot

Perfil

Mundo

ADN Neandertal em parte responsável por vícios do homem moderno

Os genes herdados do Homem Neandertal, resultado dos cruzamentos do Homem Moderno com este primo, são responsáveis em parte por doenças que nos afetam e por vícios como o da nicotina. Os Neandertais (Homo neanderthalensis) e os homens modernos (Homo sapiens) chegaram a coexistir há 40 mil anos.

© Navesh Chitrakar / Reuters

Desde 2010 que os cientistas sabem que todas as populações atuais humanas, menos as de origem africana, têm entre 1 e 4% do genoma do Neandertal, que desapareceu da face da Terra há cerca de 39.000 anos. O Homem Neandertal coincidiu na Europa com o Homem Moderno durante um período de 2.600 a 5.400 anos, entre o paleolítico médio e superior.

A investigação agora publicada na revista Science comparou pela primeira vez o ADN Neandertal nos genomas de 28 mil adultos com os respetivos registos médicos, confirmando que esta herança genética tem efeitos consideráveis na biologia dos homens modernos.

"Concluímos que o ADN Neandertal influencia as características clínicas dos homens de hoje", disse o principal autor do estudo à AFP, John Capra, professor de biologia na Universidade Vanderbilt (Tennessee, EUA). "Também descobrimos uma relação entre o ADN Neandertal e uma grande variedade de características imunológicas, dermatológicas, neurológicas, psiquiátricas e algumas doenças do sistem reprodutivo", afirmou.

Vício da nicotina e risco de depressão

Os cientistas determinaram ligações entre estas variações genéticas e um risco acrescido de 12 doenças, entre as quais a depressão, o enfarte de miocárdio e doenças sanguíneas

Certas relações descobertas entre as variações genéticas herdadas do homem Neandertal revelaram riscos acrescidos para o homem moderno de se viciar em nicotina e de terem um efeito - tanto benéfico como negativo - na preponderância da depressão.

Caminhos cruzados

O Neandertal (Homo neanderthalensis) , que apareceu há 300.000 anos, algures na Europa e na Ásia Ocidental, desapareceu há cerca de 39.000 anos. Os humanos anatomicamente modernos (Homo sapiens) surgiram há 200.000 anos em África e, há cerca de 100.000 anos, iniciaram uma migração, colonizando toda a Terra.

O Neandertal coincidiu na Europa com o homem moderno durante um período de 2.600 a 5.400 anos, entre o paleolítico médio e superior.

  • O dia que roubou dezenas de vidas em Pedrógrão Grande
    3:47
  • "Reforma da Proteção Civil esgotou prazo de validade"
    2:34

    Tragédia em Pedrógão Grande

    António Costa reconheceu esta quinta-feira que a reforma da Proteção Civil que liderou em 2006 está esgotada, e não pode dar resultados sem uma reforma da floresta. Na mesma altura, o ministro da Agricultura admitiu que os problemas já estavam identificados há uma década, sem explicar por que razão não foram atacados pelo Governo socialista da altura.

  • "De um primeiro-ministro esperam-se respostas, não perguntas"
    0:35

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Assunção Cristas acusa o ministro da Agricultura de ter deitado ao lixo a legislação do anterior Governo que poderia ser útil no combate aos incêndios. O CDS exige uma responsabilização política pela tragédia de Pedrógão Grande, diz que há muito por esclarecer e por esse motivo entregou esta quinta-feira ao primeiro-ministro um conjunto de 25 perguntas.

  • Morreu Miguel Beleza

    País

    Miguel Beleza, economista e antigo ministro das Finanças, morreu esta quinta-feira de paragem cardio-respiratória aos 67 anos.

    Última Hora

  • Revestimento da Torre de Grenfell era tóxico e inflamável
    1:52
  • "Estamos a ficar sem espaço. Está na hora de explorar outros sistemas solares"

    Mundo

    O físico e cientista britânico Stephen Hawking revelou alguns dos seus desejos para um novo plano de expansão espacial. Hawking está em Trondheim, na Noruega, para participar no Starmus Festival que promove a cultura científica. E foi lá que o físico admitiu que a população mundial está a ficar sem espaço na Terra e que "os únicos lugares disponíveis para irmos estão noutros planetas, noutros universos".

    SIC

  • Não posso usar calções... visto saias

    Mundo

    Perante a proibição de usar calções no emprego, um grupo de motoristas franceses adotou uma nova moda para combater o calor. Os trabalhadores decidiram trocar as calças por saias, visto que a peça de roupa é permitida no uniforme da empresa para a qual trabalham.

  • De refugiada a modelo: a história de Mari Malek

    Mundo

    Mari Malek chegou aos Estados Unidos da América quando era ainda uma criança. Chegada do Sudão do Sul, a menina era uma refugiada à procura de um futuro melhor, num país que não era o seu. Agora, anos depois, Mari Malek é modelo, DJ e atriz, e vive em Nova Iorque. Fundou uma organização sediada no país onde nasceu voltada para as crianças que passam por dificuldade, como também ela passou.