sicnot

Perfil

Mundo

Assinado acordo que restabelece voos diretos comerciais entre os EUA e Cuba

As ligações aéreas comerciais entre os Estados Unidos e Cuba, interrompidas há mais de 50 anos, vão ser brevemente retomadas e poderão representar até 110 voos regulares diários entre os dois países, foi hoje divulgado.

Este é o resultado de um memorando de entendimento hoje assinado em Havana pelos governos dos dois países.

"Hoje é um dia histórico na relação entre Cuba e os Estados Unidos. Estamos a assinar este memorando de entendimento para que, pela primeira vez em mais de cinco décadas, os Estados Unidos e Cuba tenham um serviço de transporte aéreo regular", afirmou o secretário dos Transportes norte-americano, Anthony R. Foxx, na capital cubana.

Apesar da lei norte-americana continuar a proibir as viagens a Cuba para atividades turísticas, este relançamento das ligações aéreas comerciais é encarada como mais uma prova do processo de aproximação entre Washington e Havana.

"A assinatura deste acordo vai marcar o início de uma nova etapa ao nível do transporte aéreo entre Cuba e os Estados Unidos, o que vai contribuir para o aprofundamento dos laços entre os dois países", afirmou o ministro cubano para a área dos Transportes, Adel Izquierdo Rodriguez.

Além de definir um serviço aéreo regular, o ministro cubano realçou que o memorando irá permitir que as companhias aéreas dos dois países realizem acordos comerciais de colaboração.

"Os dois governos reafirmaram ainda o compromisso de reforçar a sua já estreita cooperação em matéria de vigilância aérea e de segurança", acrescentou o secretário de Estado-adjunto norte-americano para a área dos Transporte, Thomas Engle, também presente na capital cubana.

As ligações aéreas entre Cuba e os Estados Unido foram suspensas há 53 anos, mas cerca de vinte voos 'charters', autorizados em meados da década de 1970, operam diariamente sob determinadas condições.

Segundo os responsáveis, as autoridades norte-americanas vão agora pedir às companhias aéreas norte-americanas que apresentem ao Departamento dos Transportes as rotas que gostariam de operar. As ligações regulares devem arrancar já no próximo verão.

"Numa primeira fase, as companhias aéreas norte-americanas estarão autorizadas a operar 20 voos regulares diários para a Havana, o principal mercado. Recordo que, atualmente, não há nenhum voo", referiu Thomas Engle.

"Além disso, dez voos diários vão ligar outras cidades cubanas a aeroportos abertos a voos internacionais", reforçou o secretário de Estado-adjunto.

Após mais de 50 anos sem relações diplomáticas, os Estados Unidos e Cuba anunciaram a 17 de dezembro de 2014 uma aproximação histórica entre os dois países, separados unicamente pelos 150 quilómetros do Estreito da Florida.

Depois de vários meses de rondas negociais, os líderes norte-americano e cubano, Barack Obama e Raul Castro, respetivamente, anunciaram a 01 de julho de 2015 o restabelecimento das relações diplomáticas e a abertura de embaixadas nas capitais de cada país.

Lusa

  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Dezenas de mortos em bombardeamentos do Daesh em Mossul

    Daesh

    Dezenas de civis, entre os quais várias crianças, morreram e outros ficaram feridos em ataques de morteiro efetuados pelo grupo extremista Daesh em Mossul, disse à agência Efe o vice-comandante das forças antiterroristas iraquianas.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.

  • Tribunal chinês iliba jovem executado há 21 anos

    Mundo

    Nie Shubin foi fuzilado em 1995, na altura com 20 anos, depois de ter sido condenado por violação e assassinato de uma mulher, na cidade de Shijiazhuang. Agora, a justiça chinesa vem dizer que, afinal, o jovem era inocente, uma vez que não foram encontradas provas suficientes para o condenar.