sicnot

Perfil

Mundo

Assinado acordo que restabelece voos diretos comerciais entre os EUA e Cuba

As ligações aéreas comerciais entre os Estados Unidos e Cuba, interrompidas há mais de 50 anos, vão ser brevemente retomadas e poderão representar até 110 voos regulares diários entre os dois países, foi hoje divulgado.

Este é o resultado de um memorando de entendimento hoje assinado em Havana pelos governos dos dois países.

"Hoje é um dia histórico na relação entre Cuba e os Estados Unidos. Estamos a assinar este memorando de entendimento para que, pela primeira vez em mais de cinco décadas, os Estados Unidos e Cuba tenham um serviço de transporte aéreo regular", afirmou o secretário dos Transportes norte-americano, Anthony R. Foxx, na capital cubana.

Apesar da lei norte-americana continuar a proibir as viagens a Cuba para atividades turísticas, este relançamento das ligações aéreas comerciais é encarada como mais uma prova do processo de aproximação entre Washington e Havana.

"A assinatura deste acordo vai marcar o início de uma nova etapa ao nível do transporte aéreo entre Cuba e os Estados Unidos, o que vai contribuir para o aprofundamento dos laços entre os dois países", afirmou o ministro cubano para a área dos Transportes, Adel Izquierdo Rodriguez.

Além de definir um serviço aéreo regular, o ministro cubano realçou que o memorando irá permitir que as companhias aéreas dos dois países realizem acordos comerciais de colaboração.

"Os dois governos reafirmaram ainda o compromisso de reforçar a sua já estreita cooperação em matéria de vigilância aérea e de segurança", acrescentou o secretário de Estado-adjunto norte-americano para a área dos Transporte, Thomas Engle, também presente na capital cubana.

As ligações aéreas entre Cuba e os Estados Unido foram suspensas há 53 anos, mas cerca de vinte voos 'charters', autorizados em meados da década de 1970, operam diariamente sob determinadas condições.

Segundo os responsáveis, as autoridades norte-americanas vão agora pedir às companhias aéreas norte-americanas que apresentem ao Departamento dos Transportes as rotas que gostariam de operar. As ligações regulares devem arrancar já no próximo verão.

"Numa primeira fase, as companhias aéreas norte-americanas estarão autorizadas a operar 20 voos regulares diários para a Havana, o principal mercado. Recordo que, atualmente, não há nenhum voo", referiu Thomas Engle.

"Além disso, dez voos diários vão ligar outras cidades cubanas a aeroportos abertos a voos internacionais", reforçou o secretário de Estado-adjunto.

Após mais de 50 anos sem relações diplomáticas, os Estados Unidos e Cuba anunciaram a 17 de dezembro de 2014 uma aproximação histórica entre os dois países, separados unicamente pelos 150 quilómetros do Estreito da Florida.

Depois de vários meses de rondas negociais, os líderes norte-americano e cubano, Barack Obama e Raul Castro, respetivamente, anunciaram a 01 de julho de 2015 o restabelecimento das relações diplomáticas e a abertura de embaixadas nas capitais de cada país.

Lusa

  • Primeiro-ministro hoje na cidade da Praia 

    País

    O primeiro-ministro, António Costa, está hoje em Cabo Verde para a a IV cimeira bilateral entre Portugal e aquele país africano, aproveitando a passagem pela cidade da Praia para inaugurar a escola portuguesa.

  • Deputados britânicos debatem hoje petição que desvaloriza visita de Donald Trump

    Mundo

    Os deputados britânicos debatem hoje uma petição que reclama que a futura visita de Estado do Presidente norte-americano, Donald Trump, seja reduzida a uma visita oficial, enquanto dezenas de milhares de pessoas se manifestam sobre o mesmo assunto. Dezenas de milhares de pessoas são esperadas hoje nas ruas de várias cidades do Reino Unido, em protestos organizados para coincidir com a discussão no parlamento (na Câmara dos Comuns) de uma petição 'online' que já tem quase dois milhões de subscritores.

  • Portugal sem resposta de Moçambique sobre português desaparecido em Maputo
    1:25

    País

    Portugal tem tentado, sem sucesso, obter respostas das autoridades moçambicanas sobre o rapto de um empresário português há sete meses. De acordo com a notícia avançada este domingo pelo jornal Público, uma carta enviada há duas semanas pelo Presidente da República ao homólogo moçambicano não teve resposta. O Governo de Moçambique tem ignorado pedidos de informação das autoridades portuguesas.

  • Matteo Renzi demite-se da liderança do Partido Democrático

    Mundo

    O antigo primeiro-ministro italiano Matteo Renzi demitiu-se hoje da liderança do Partido Democrata (PD), uma decisão que faz parte de uma estratégia para retomar o controlo da formação de centro-esquerda, onde uma minoria mais à esquerda ameaça cindir-se.