sicnot

Perfil

Mundo

China ameaça "graves consequências" caso EUA batizem praça com nome de dissidente

A China ameaçou os EUA com "graves consequências" se aquele país der o nome do dissidente chinês e Nobel da paz, Liu Xiaobo, a uma praça em Washington, exigindo que o Congresso e Governo norte-americanos rejeitem a proposta.

Washington tem um projeto de lei que visa batizar uma praça situada em frente à embaixada chinesa com o nome de Liu Xiaobo.

Washington tem um projeto de lei que visa batizar uma praça situada em frente à embaixada chinesa com o nome de Liu Xiaobo.

Reuters

O senado norte-americano avançou com o projeto de lei que visa batizar uma praça situada em frente à embaixada chinesa em Washington com o nome de Liu Xiaobo.

Liu foi condenado em 2009 a 11 anos de prisão pela autoria de um documento em que pedia profundas reformas políticas na China, tendo sido galardoado com o Nobel no ano seguinte.

Pequim opõe-se "firmemente" ao referido projeto de lei, que considera violar as "normas de governação básicas das relações internacionais", assinalou hoje um porta-voz do ministério chinês dos Negócios Estrangeiros, Hong Lei.

Hong exigiu que o Congresso e Governo dos EUA interrompam a discussão em torno do projeto de lei.

Liu é o único prémio Nobel da Paz que se encontra preso.

O Senado dos EUA aprovou na passada sexta-feira o projeto de lei, que dependerá agora da ratificação pela Câmara dos Representantes, ainda que a Casa Branca teria sempre a opção de vetar a lei, visto que a sua aprovação depende da assinatura do Presidente.

A proposta foi apresentada por um dos atuais aspirantes à candidatura presidencial nos EUA, Ted Cruz, membro da ala mais conservadora do Partido Republicano.

  • Marido de idosa que morreu na Sertã teve de caminhar durante duas horas para pedir ajuda
    1:44

    País

    A Altice garantiu esta sexta-feira que tentou agendar, por duas vezes, a reposição da linha telefónica na casa da idosa da Sertã, que morreu na semana passada por não ter comunicações que permitissem um socorro rápido. A mulher sentiu-se mal e o marido teve de caminhar durante duas horas para conseguir chegar à casa do vizinho mais próximo e pedir ajuda.

  • "No meu bairro perguntam-me se a medalha é de ouro e dizem que ma vão roubar e vender"
    4:46
  • Como é que alguém (Rúben Semedo) com tanto pode perder tudo?
    3:05