sicnot

Perfil

Mundo

Impressora 3D cria orelha transplantável

Trata-se de uma impressora 3D que, em vez de tinta ou plástico, usa células. Já imprimiu orelhas, ossos e músculos. Chama-se ITOP e promete revolucionar a medicina regenerativa.

Fazer crescer orelhas humanas nas costas de ratos não é novidade. Produzi-las em impressoras 3D é que é.

Que o diga o responsável pelo projeto, Anthony Atala, do Instituto Wake Forest para a Medicina Regenerativa, na Carolina do Norte, nos Estados Unidos que desenvolveu uma ITOP, Integrated Tissue and Organ Printing System ou em português, Impressora de Tecidos e Órgãos Integrados.

Esta impressora 3D propõe fazer, à medida, ossos, orelhas, músculos suficientemente estáveis para serem usados em transplantes. Em vez de tinta ou plástico usa células suspensas numa solução de gelatina e um polímero.

Tudo começa com uma TC, ou tomografia computorizada. O software lê a imagem e cria uma fórmula para a imprimir a estrutura do órgão que se pretenda imprimir. Num dos cartuchos há gel com as células, num outro o polímero e num terceiro o material biodegradável que irá suster a orelha impressa.

O grande desafio para a equipa era manter a orelha viva e isso foi conseguido com recurso ao material biodegradável que ajudou a tornar as estruturas mais fortes até o amadurecimento dos tecidos e estáveis para o transplante cirúrgico, com micro canais que funcionam como vasos sanguíneos e permitem transportar nutrientes e oxigénio às células. Um dia depois da impressão 91% das células mantiveram-se vivas.

De acordo com o médico Anthony Atala um dos responsáveis pelo projeto, os resultados indicam que a combinação de materiais "produziu um ambiente adequado para que as células se mantivessem vivas".

A descoberta, agora publicada na revista Nature Biotechnology, aumenta a esperança de usar tecidos vivos e adaptá-los às necessidades únicas de cada pessoa.

  • Encontrados destroços do avião que caiu no Irão

    Mundo

    As autoridades iranianas encontraram destroços do avião que caiu no domingo no sudeste do país, matando as 66 pessoas que seguiam a bordo, revelou um porta-voz da Guarda Revolucionária, o exército de elite do regime.

  • 2,6 milhões de bebés morrem antes de completar um mês

    Mundo

    Os recém-nascidos no Paquistão, República Centro-Africana e Afeganistão são os que têm menor probabilidade de sobreviver, de acordo com um relatório da Unicef que revela que todos os anos 2,6 milhões de crianças morrem antes de completar um mês. Sobretudo nos países mais pobres do mundo, o número de mortes de recém-nascidos a nível global mantém-se assustadoramente elevado.

  • Galp regista lucro de 602 M€ em 2017 

    Economia

    A Galp registou um lucro de 602 milhões de euros no ano passado. Uma subida de 25 por cento em relação a 2016. De acordo com a empresa, os resultados devem-se sobretudo ao aumento da produção de petróleo e gás natural no Brasil, bem como o crescimento dos negócios da refinação e distribuição.

  • Mulher enterrada viva no Brasil
    1:13

    Mundo

    Uma mulher de 37 anos terá sido enterrada viva no oeste da Bahia, no Brasil. A certidão de óbito aponta um choque séptico como a causa da morte, mas os ferimentos com que foi encontrada no interior do caixão indicam um possível erro. Os moradores de casas vizinhas do cemitério municipal onde Rosângela dos Santos foi enterrada ouviram gritos vindos do túmulo.

  • "Os Estados Unidos são uma sociedade de pistoleiros"
    3:47
  • Trump desafia Oprah a candidatar-se para ser derrotada

    Mundo

    Apesar de Oprah Winfrey ter excluído uma eventual candidatura às eleições presidenciais dos Estados Unidos da América, Donald Trump ainda não se esqueceu dos rumores e desafiou a apresentadora a candidatar-se em 2020. Através do Twitter, o Presidente norte-americano disse ainda que assim poderia ser "exposta e derrotada como todos os outros".

    SIC