sicnot

Perfil

Mundo

Experiência em Nova Deli trava poluição

As novas regras de circulação automóvel em Nova Deli com o objetivo de reduzir os altos índices de poluição atmosférica estão a resultar. Desde 1 de janeiro, e durante 15 dias, esteve em vigor um sistema de circulação alternada entre veículos de matrícula par e ímpar, que provou ser eficaz.

Durante os 15 dias que esteve em vigor o sistema de circulação automóvel alternada a poluição atmosférica diminuiu 10%, revela a revista Nature. Uma vitória não apenas para autoridades de Nova Deli, mas também para os cientistas que se envolveram no projeto e recolheram os dados para determinar se o teste tinha alcançado seu objetivo .

"Esta experiência de 'investigação ao vivo' foi realmente muito emocionante", disse Santosh Harish, do India centre of the Energy Policy Institute na Universidade de Chicago (EPIC-India).

O EPIC-India e o Conselho de Energia, Ambiente e Água (CEEW), em Nova Deli,usaram as câmaras de vigilância espalhadas pela cidade para determinar os tipos e o número de veículos nas estradas.

Nova Deli e Pequim são as cidades mais poluídas do mundo

Segundo as orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS) para a qualidade do ar, a poluição deve ser restringida a um nível diário de 25 microgramas de metro cúbico.

Mas já em fevereiro deste ano, Nova Deli e Pequim excederam este valor de referência. Nestas cidades este nível esteve, por norma, em 300 microgramas ou acima, excedendo em 1.200% as orientações da OMS.

Mais de 85% da população mundial vivem em áreas onde as orientações da OMS são desrespeitadas.

Poluição atmosférica mata mais de 5,5 milhões de pessoas por ano

A poluição do ar provoca a morte a mais de 5,5 milhões de pessoas por ano em todo o mundo, com as mortes a ocorrerem na sua maior parte na China e na Índia.

A previsão dos cientistas autores do estudo, divulgado na conferência anual da Associação (Norte-)Americana para o Avanço da Ciência é a de que o número de mortes prematuras vai continuar a subir nos próximos anos, se nada se fizer contra a poluição.

"A poluição do ar é o quarto fator de risco de morte globalmente e, de longe, o principal risco ambiental de doença", afirmou Michael Brauer, professor na Escola de População e Saúde Pública da Universidade da Colúmbia Britânica, em Vancouver, no Canadá.

A poluição atmosférica aparece depois da pressão arterial elevada, (má) alimentação e tabagismo como o quarto fator de risco de morte à escala mundial, segundo um estudo do Instituto de Métrica de Saúde.

"Reduzir a poluição atmosférica é uma forma incrivelmente eficiente de melhorar a saúde da população", afirmou Brauer.

China e Índia representam 55% das mortes anuais à escala global da poluição atmosférica.

Cerca de 1,6 milhões de pessoas morreram na China em 2013 e 1,4 milhões na Índia.

Na China, a queima do carvão é o principal causador da má qualidade do ar - e a poluição provocada pelo carvão provocou 366 mil mortes em 2013, afirmou Qiao Ma, uma estudante de doutoramento na Escola de Ambiente da Universidade Tsinghua, em Pequim.Projetou que a poluição atmosférica deve causar entre 990 mil e 1,3 milhões de mortes prematuras até 2030, na ausência de medidas ambiciosas.

"O nosso estudo ilustra a necessidade urgente de estratégias ainda mais agressivas para reduzir emissões dos setores do carvão e outros", disse Ma.

Na Índia, a principal origem é a queima de madeira, estrume e biomassa para cozer e aquecer.

  • Os negócios menos claros do filho de Pinto da Costa
    1:55
  • BCE autoriza CGD a avançar com recapitalização

    Caso CGD

    A Caixa Geral de Depósitos informou esta sexta-feira que vai prosseguir com as operações da primeira fase do aumento de capital, depois de ter obtido autorização para isso junto do Banco Central Europeu (BCE) e do Banco de Portugal.

  • Condutores apanhados a mais de 200 em corridas ilegais na Ponte Vasco da Gama
    1:25
  • A história da guerra em Alepo
    7:43
  • Reino Unido em alerta máximo de terrorismo

    Mundo

    O Reino Unido elevou o alerta de terrorismo para o nível máximo depois das declarações, esta quinta-feira, do chefe das secretas britânicas. O diretor do MI6 está preocupado com eventuais ataques contra o Reino Unido e outros aliados.

  • Uma "cidade fantasma" na Letónia
    3:10
  • O anúncio de natal que está a emocionar o mundo
    1:47