sicnot

Perfil

Mundo

Autoridades iraquianas procuram material radioativo desaparecido

As autoridades iraquianas procuram uma substância radioativa desaparecida no sul do país há mais de três meses.

O sul do Iraque concentra a maior parte da indústria petrolífera do país e a maioria do petróleo bruto iraquiano é exportada via Baçorá.

O sul do Iraque concentra a maior parte da indústria petrolífera do país e a maioria do petróleo bruto iraquiano é exportada via Baçorá.

© Ahmed Saad / Reuters

A empresa norte-americana de petróleo e gás Weatherford informou a 15 de novembro a comissão ambiental da província de Baçorá do desaparecimento de material radioativo, disse o diretor do departamento de radiação da comissão, Khajak Ferwir.

As buscas pelo material prosseguem, acrescentou.

A exposição ao material em causa, que no máximo serão várias gramas de irídio 192, pode provocar queimaduras a curto prazo e cancro a longo prazo.

O irídio 192 não pode ser usado para produzir uma bomba de fissão nuclear, mas pode ser disseminado através de explosivos convencionais numa chamada "bomba suja", embora a quantidade em falta seja provavelmente insuficiente para esse fim.

O material desaparecido pertence à empresa turca SGS e é usado para detetar fugas ou outras falhas em tubos soldados, segundo um responsável da segurança de Baçorá.

Apesar de pertencer à empresa turca, que tem um contrato com a Weatherford, o material desapareceu de um armazém da companhia norte-americana, acrescentou.

O material é considerado como desaparecido, e não roubado, precisou por seu lado um membro da comissão de segurança da província, Jabbar al-Saadi.

O sul do Iraque concentra a maior parte da indústria petrolífera do país e a maioria do petróleo bruto iraquiano é exportada via Baçorá.

Lusa

  • Comitiva portuguesa terminou visita à central de Almaraz

    País

    A visita técnica das delegações portuguesa e da Comissão Europeia à central nuclear de Almaraz, em Espanha, esta segunda-feira, já terminou. A visita começou por volta das 9h00, hora de Lisboa, e serviu para Portugal se inteirar sobre o funcionamento da central e sobre o projeto de construção de uma instalação para armazenamento de resíduos radioativos.