sicnot

Perfil

Mundo

NASA lança telescópio espacial com vista cem vezes mais ampla que a do Huble

A agência espacial norte-americana NASA vai lançar um telescópio espacial com vista cem vezes mais ampla do que a do Huble, em meados da década de 2020, após o lançamento do James Webb em 2018.

© NASA NASA / Reuters

Depois de vários anos de estudos preparatórios, a NASA anunciou hoje em comunicado o início oficial da missão astrofísica do telescópio Wide Field Infrared Survey, que ajudará a desvendar os segredos do universo.

Espera-se que o telescópio contribua para resolver os mistérios da energia e da matéria negra, explorar a evolução do Cosmos, descobrir novos mundos além do sistema solar e avançar na pesquisa de mundos que possam ser aptos para a vida.

«Esta missão combina de maneira única a capacidade para descobrir e caracterizar planetas além do nosso sistema solar, com a sensibilidade e as óticas para ver com amplitude e profundidade o Universo em busca de resolver os mistérios da energia negra e da matéria negra», afirmou o astronauta e administrador associado do diretório de missões científicas da NASA, John Grunsfeld.

O novo observatório analisará amplas regiões do céu com raios de luz quase infravermelha, para responder às questões fundamentais sobre a estrutura e a evolução do Universo e aumentar o conhecimento dos planetas que estão além do sistema solar.

Comparando os dados dos vários instrumentos do observatório, os investigadores poderão entender melhor a física e a origem das atmosferas e procurar sinais químicos em ambientes aptos para a vida.

O lançamento do telescópio está previsto para meados da década de 2020. O observatório começará a funcionar depois de viajar até um ponto de equilíbrio gravitacional, conhecido como «Terra-Sol L2», que se encontra a mais de um milhão e meio de quilómetros da Terra, em direção oposta ao Sol.

Lusa

  • Fuga de Vale de Judeus em junho de 1975 no Perdidos e Achados
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

    Segunda-feira no Jornal da Noite