sicnot

Perfil

Mundo

Obama quer que Turquia acabe com ataques às forças curdas

O Presidente dos EUA, Barack Obama, telefonou na quinta-feira ao seu homólogo turco, Recep Tayyip Erdogan, para que o governo de Ancara e as forças curdas "mostrassem uma contenção recíproca" no norte da Síria.

Barak Obama vai pedir dinheiro ao congresso para a luta contra o vírus Zika

Barak Obama vai pedir dinheiro ao congresso para a luta contra o vírus Zika

© Jonathan Ernst / Reuters

"O Presidente Obama sublinhou que as forças YPG (Unidades de Proteção do Povo curdo) não deveriam explorar as circunstâncias nesta área para ganhar território e exortou a Turquia a mostrar contenção recíproca cessando os ataques de artilharia na área", especificou a Casa Branca, em comunicado.

Lusa

  • Presidente da Turquia culpa a milícia síria-curda do atentado suicida de Ancara
    2:00

    Mundo

    O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, diz que a milícia síria-curda, a quem atribui a autoria do atentado suicida de Ancara, está a utilizar armas fornecidas pelos Estados Unidos contra civis. Tayip Erdogan diz que vai prosseguir os ataques contra o grupo, no norte da Síria. O atentado suicida em Ancara matou 28 pessoas e menos de 24 horas depois, uma coluna militar que procedia a uma ação de desminagem foi atingida por uma explosão no sudoeste da turquia. Seis soldados não sobreviveram aos ferimentos e acabaram por morrer.

  • Turquia atribui atentado de Ancara ao PKK e às milícias curdas
    1:21

    Mundo

    A Turquia acusa o Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) e as milícias curdas da Síria de responsabilidade pelo atentado de ontem em Ancara que matou 28 pessoas e feriu 65. Já esta manhã, num novo atentado, seis soldados turcos foram mortos no sudeste do país , numa provincia de maioria curda.

  • Suspeito de atropelamento mortal fala de acidente 
    2:00

    País

    O interrogatório do suspeito do atropelamento mortal junto ao Estádio da Luz foi adiado para este sábado porque o Ministério Público solicitou uma nova diligência de reconhecimento. Luís Pina nega que tenha atropelado o italiano de forma intencional e defende que foi mero acidente.