sicnot

Perfil

Mundo

Febre-amarela em Angola já causou 99 mortes

O surto de febre-amarela em Angola causou já 99 mortos, de um total de 461 casos suspeitos notificados desde o início da epidemia, em dezembro de 2015, referem dados do boletim epidemiológico do Ministério da Saúde.

Arquivo/Reuters

Arquivo/Reuters

© Handout . / Reuters

O mais recente boletim diário sobre a febre-amarela, a que a agência Lusa teve hoje acesso, refere que no sábado foram notificados 22 novos casos suspeitos, maioritariamente na capital angolana (14) e os restantes nas províncias do Huambo e Bié.

O documento sublinha que não foram reportados casos de óbitos no sábado.

Relativamente às ações de combate ao surto, o boletim informa que estão a ser realizadas buscas ativas de casos em hospitais e centros de saúde em Luanda e nas províncias com casos suspeitos.

Acrescenta também que continuam a decorrer as campanhas de vacinação, iniciada a 02 de fevereiro, tendo já sido imunizadas 1,8 milhões de pessoas, 1,7 milhões dos quais no município de Viana e cerca de 19.000 em Belas.

O município de Viana, o epicentro da epidemia, lidera, quer em número de casos suspeitos (173), quer em óbitos (53).

Fora da capital angolana, a província do Huambo regista o maior número de mortes (12), enquanto a Huíla lidera a lista de casos (45).

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.