sicnot

Perfil

Mundo

Série de ataques contra sucursais de bancos russos

Várias sucursais de pelo menos três bancos russos - Sberbank, VTB e Alfa Bank -- foram alvo de ataques nos últimos dias na Ucrânia, onde os sentimentos anti-Rússia persistem, divulgou hoje a polícia ucraniana.

Sberbank, um dos bancos russos atacados.

Sberbank, um dos bancos russos atacados.

© Maxim Shemetov / Reuters

Em Lviv, bastião nacionalista do oeste da Ucrânia, duas sucursais do banco público russo Sberbank e uma da entidade bancária russa VTB foram atacadas com 'cocktails molotov' na noite de domingo para segunda-feira, indicou a mesma fonte.

Os ataques provocaram danos materiais consideráveis em duas das sucursais, enquanto outra só registou uma montra partida, precisou a polícia num comunicado.

Uma das sucursais do banco público russo Sberbank foi destruída por um incêndio e foi obrigada a encerrar portas, afirmou, em declarações à agência noticiosa francesa AFP, o gabinete de comunicação da instituição bancária.

A polícia local informou que abriu uma investigação criminal por "destruição premeditada de bens", um crime passível de ser punido até 10 anos de prisão. As autoridades referiram que até ao momento ninguém foi detido.

Em Marioupol, uma cidade portuária estratégica no leste da Ucrânia sob o controlo de Kiev, pessoas não identificadas partiram, no domingo de manhã, as montras de uma sucursal do banco Sberbank, informou hoje um 'site' noticioso local.

Também foram registados incidentes similares no centro da capital ucraniana.

Militantes de extrema-direita vandalizaram, no sábado de manhã em Kiev, duas sucursais do Sberbank e do Alfa Bank, bem como as instalações locais do grupo System Capital Management (SCM), cujo proprietário Rinat Akhmetov, o homem mais rico da Ucrânia, é acusado de ter ajudado os separatistas pró-russos no início da rebelião em 2014.

Após os incidentes, as autoridades policiais abriram um inquérito por "hooliganismo", mas nenhuma detenção foi anunciada até ao momento.

Os bancos públicos Sberbank e VTB, as duas principais instituições do setor bancário russo, constam entre as organizações visadas pelas sanções ocidentais impostas a Moscovo. O Alfa Bank é o primeiro banco privado da Rússia.

Moscovo e Kiev estão envolvidos numa crise sem precedentes desde que as forças pró-ocidentais chegaram ao poder na Ucrânia no início de 2014, situação que se agravou com a anexação russa da península da Crimeia, concretizada após um referendo fortemente contestado, e com o conflito com os separatistas pró-russos na região leste da Ucrânia, que já fez mais de 9.000 mortos.

Kiev e o Ocidente acusam a Rússia de armar os separatistas pró-russos e de ter enviado tropas regulares para a zona do conflito, o mais sangrento na Europa desde a guerra dos Balcãs na década de 1990.

Moscovo sempre rejeitou categoricamente qualquer implicação militar no conflito, mas o seu envolvimento na crise ucraniana fui punido com pesadas sanções económicas e uma degradação da relação com o Ocidente.

Lusa

  • O percurso dos rendimentos de Ronaldo
    3:43

    Desporto

    O Ministério das Finanças espanhol abriu uma investigação a Cristiano Ronaldo, por eventuais irregularides na declaração dos rendimentos da publicidade. A Gestifute, empresa do agente do avançado do Real Madrid, garante que Ronaldo tem os impostos em dia. A investigação aos documentos extraídos da plataforma informática Football Leaks, liderada pela revista alemã Der Spiegel, e da qual faz parte o jornal Expresso, conseguiu traçar o percurso dos rendimentos do melhor jogador do mundo.

  • Fábio Coentrão investigado por suspeita de delitos fiscais
    3:37

    Desporto

    O Ministério Público de Madrid acusou o defesa português Ricardo Carvalho de evasão fiscal e está a investigar Fábio Coentrão por eventuais delitos fiscais. Além dos dois portugueses a justiça acusou ainda o espanhol Xabi Alonso, o argentino Ángel Di María e investiga o colombiano Falcão. As investigações surgem depois da revelação do caso Football Leaks, investigada pelo Expresso e pelo consórcio europeu de jornalistas que tiveram acesso a milhões de documentos.

  • Mais cinco ilhas dos Açores sob aviso vermelho

    País

    O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) elevou esta quarta-feira para vermelho o aviso para as cinco ilhas do grupo central dos Açores, onde no Faial o vento atingiu os 150 quilómetros por hora.

  • Votações sobre o mapa judiciário geram tensão no Parlamento
    2:01

    País

    O momento das votações no Parlamento ficou marcado por alguma tensão. Depois de aprovadas, em comissão, as alterações ao mapa judiciário, o PSD opôs-se a que o diploma fosse votado em plenário, uma vez que não fazia parte da versão inicial do guião de votações. A esquerda acusou os sociais-democratas de terem motivações estritamente políticas e não regimentais.

  • Uma alternativa aos serviços de enfermagem ao domicílio
    7:34
  • As primeiras palavras de um dos sobreviventes da Chapecoense
    0:29
  • Familiares de vítimas procuram destroços do MH370
    1:48

    Voo MH370

    Um grupo de familiares das vítimas do avião das linhas aéreas da Malásia, desaparecido em 2014, procuram destroços do aparelho em Madagáscar. As autoridades malaias estudam a posssibilidade de uma nova operação de buscas.

  • Primeiro-ministro em lágrimas ao reencontrar refugiado que recebeu no Canadá em 2015

    Mundo

    Justin Trudeau desfez-se em lágrimas no reencontro com um refugiado sírio, que ele recebeu no Canadá em 2015. No ano passado, Trudeau recebeu pessoalmente os refugiados no aeroporto, onde foi visto a entregar casacos de inverno aos migrantes. Esta segunda-feira, o primeiro-ministro conheceu algumas das famílias que se estabeleceram no país, numa reunião filmada pela emissora canadiana CBC.