sicnot

Perfil

Mundo

Estados Unidos ainda têm 91 pessoas detidas na prisão de Guantánamo

A prisão militar de Guantánamo, que cristalizou o sentimento antiamericano depois do 11 de setembro e que Barack Obama pretende encerrar desde 2009, ainda tem 91 prisioneiros, cuja transferência levanta questões.

O centro de detenção abriu a 11 de janeiro de 2002 na base naval dos Estados Unidos na baía de Guantánamo na costa sudeste da ilha de Cuba.

O centro de detenção abriu a 11 de janeiro de 2002 na base naval dos Estados Unidos na baía de Guantánamo na costa sudeste da ilha de Cuba.

(Reuters/Arquivo)

O centro de detenção abriu a 11 de janeiro de 2002 na base naval dos Estados Unidos na baia de Guantánamo na costa sudeste da ilha de Cuba.

O enclave com 117 quilómetros quadrados (dos quais apenas 49 quilómetros quadrados são terra) foi transferido de Cuba para os Estados Unidos em 1903.

Os primeiros prisioneiros chegaram à base, situada a 1000 quilómetros de Havana, no rescaldo do 11 de setembro.

Os detidos foram classificados como "combatentes inimigos" pela administração de George W. Bush e privados dos seus direitos fundamentais.

Atualmente, estão 91 pessoas detidas na prisão, que chegou, em 2003, a ter 680 prisioneiros.

Dos 760 prisioneiros que passaram por Guantánamo, 85% já foram transferidos. A administração do Presidente norte-americano, Barack Obama, afirmou que realizou 147 transferências, principalmente para países do Médio Oriente e África.

Nos últimos tempos, os presos foram transferidos a conta-gotas para países terceiros e 35 dos prisioneiros que continuam detidos já viram as suas transferências aprovadas. Outros vão permanecer presos por tempo indefinido, porque são considerados muito perigosos ou aguardam julgamento.

O plano hoje apresentado considera 13 localizações diferentes no território norte-americano para a transferência de prisioneiros de Guantánamo, mas sem recomendar nenhuma em particular.

Entre as 13 localizações estão incluídas prisões já existentes em estados como Colorado ou Carolina do Sul, mas também novas instalações a serem construídas em algumas bases militares norte-americanas.

Desenvolvido durante meses, o plano prevê a transferência entre 30 a 60 presos para o território norte-americano.

O orçamento previsto pela administração norte-americana para este plano oscila entre os 290 milhões (263 milhões de euros) e os 475 milhões de dólares (430 milhões de euros), dependendo do número de prisioneiros transferidos para o território norte-americano e das instalações escolhidas.

Lusa

  • "Se me pergunta se estou de consciência tranquila, estou"
    2:13

    País

    O ministro Vieira da Silva assegura que aguarda com tranquilidade que a investigação em curso esclareça as alegadas irregularidades na associação Raríssimas. Alguns mecenas estão já a suspender o apoio, na sequência do escândalo que já levou a duas demissões. 

  • Novo regime dos recibos verdes "acaba com as injustiças dos escalões"
    1:10
  • Brinquedos tecnológicos para oferecer no Natal
    5:33
  • Aniversário de Marcelo passado nas comemorações dos 700 anos da Marinha
    1:45

    País

    O Presidente da República defende que é preciso continuar a investir na Armada, nas pessoas, nas capacidades e no apoio de retaguarda. No dia em que fez 69 anos, Marcelo Rebelo de Sousa esteve nas comemorações dos 700 da Marinha, onde sublinhou os sete séculos de conquistas e de combates navais.

  • Costa anuncia reunião sobre neutralidade carbónica em fevereiro
    2:03

    País

    O Presidente francês defende que é preciso ir mais longe e mais rápido na luta contra as alteração climáticas, numa resposta à decisão de Donald Trump de retirar os EUA do Acordo de Paris. Em fevereiro, será a vez de Portugal organizar uma reunião sobre energia e transportes.