sicnot

Perfil

Mundo

Estados Unidos ainda têm 91 pessoas detidas na prisão de Guantánamo

A prisão militar de Guantánamo, que cristalizou o sentimento antiamericano depois do 11 de setembro e que Barack Obama pretende encerrar desde 2009, ainda tem 91 prisioneiros, cuja transferência levanta questões.

O centro de detenção abriu a 11 de janeiro de 2002 na base naval dos Estados Unidos na baía de Guantánamo na costa sudeste da ilha de Cuba.

O centro de detenção abriu a 11 de janeiro de 2002 na base naval dos Estados Unidos na baía de Guantánamo na costa sudeste da ilha de Cuba.

(Reuters/Arquivo)

O centro de detenção abriu a 11 de janeiro de 2002 na base naval dos Estados Unidos na baia de Guantánamo na costa sudeste da ilha de Cuba.

O enclave com 117 quilómetros quadrados (dos quais apenas 49 quilómetros quadrados são terra) foi transferido de Cuba para os Estados Unidos em 1903.

Os primeiros prisioneiros chegaram à base, situada a 1000 quilómetros de Havana, no rescaldo do 11 de setembro.

Os detidos foram classificados como "combatentes inimigos" pela administração de George W. Bush e privados dos seus direitos fundamentais.

Atualmente, estão 91 pessoas detidas na prisão, que chegou, em 2003, a ter 680 prisioneiros.

Dos 760 prisioneiros que passaram por Guantánamo, 85% já foram transferidos. A administração do Presidente norte-americano, Barack Obama, afirmou que realizou 147 transferências, principalmente para países do Médio Oriente e África.

Nos últimos tempos, os presos foram transferidos a conta-gotas para países terceiros e 35 dos prisioneiros que continuam detidos já viram as suas transferências aprovadas. Outros vão permanecer presos por tempo indefinido, porque são considerados muito perigosos ou aguardam julgamento.

O plano hoje apresentado considera 13 localizações diferentes no território norte-americano para a transferência de prisioneiros de Guantánamo, mas sem recomendar nenhuma em particular.

Entre as 13 localizações estão incluídas prisões já existentes em estados como Colorado ou Carolina do Sul, mas também novas instalações a serem construídas em algumas bases militares norte-americanas.

Desenvolvido durante meses, o plano prevê a transferência entre 30 a 60 presos para o território norte-americano.

O orçamento previsto pela administração norte-americana para este plano oscila entre os 290 milhões (263 milhões de euros) e os 475 milhões de dólares (430 milhões de euros), dependendo do número de prisioneiros transferidos para o território norte-americano e das instalações escolhidas.

Lusa

  • O dia que roubou dezenas de vidas em Pedrógrão Grande
    3:47
  • Morreu Miguel Beleza

    País

    Miguel Beleza, economista e antigo ministro das Finanças, morreu esta quinta-feira de paragem cardio-respiratória aos 67 anos.

  • "Estamos a ficar sem espaço. Está na hora de explorar outros sistemas solares"

    Mundo

    O físico e cientista britânico Stephen Hawking revelou alguns dos seus desejos para um novo plano de expansão espacial. Hawking está em Trondheim, na Noruega, para participar no Starmus Festival que promove a cultura científica. E foi lá que o físico admitiu que a população mundial está a ficar sem espaço na Terra e que "os únicos lugares disponíveis para irmos estão noutros planetas, noutros universos".

    SIC

  • Não posso usar calções... visto saias

    Mundo

    Perante a proibição de usar calções no emprego, um grupo de motoristas franceses adotou uma nova moda para combater o calor. Os trabalhadores decidiram trocar as calças por saias, visto que a peça de roupa é permitida no uniforme da empresa para a qual trabalham.

  • De refugiada a modelo: a história de Mari Malek

    Mundo

    Mari Malek chegou aos Estados Unidos da América quando era ainda uma criança. Chegada do Sudão do Sul, a menina era uma refugiada à procura de um futuro melhor, num país que não era o seu. Agora, anos depois, Mari Malek é modelo, DJ e atriz, e vive em Nova Iorque. Fundou uma organização sediada no país onde nasceu voltada para as crianças que passam por dificuldade, como também ela passou.