sicnot

Perfil

Mundo

Apple diz que derrota perante governo dos EUA levaria a "estado policial"

Theodore Olson, um dos advogados que representa a Apple na batalha contra o governo dos Estados Unidos, alertou hoje que a derrota da empresa tecnológica no braço de ferro com aquele país conduziria a um "estado policial".

© Dado Ruvic / Reuters

"Pode imaginar-se diferentes agentes da ordem a dizerem à Apple que querem um novo produto para aceder a algo", disse hoje Olson em declarações à cadeia de televisão CNN.

"Inclusive um juiz estatal poderia pedir à Apple que desenhe algo. Não haveria fim. Conduziria a um estado policial", afirmou.

O FBI (Gabinete Federal de Investigação) quer que a Apple o ajude a desbloquear um iPhone utilizado por um dos autores do tiroteio de dezembro na cidade californiana de São Bernardino, no qual morreram 14 pessoas e 22 ficaram feridas, num caso que está a ser investigado como terrorismo.

Em concreto, o FBI espera que a Apple desenhe um 'software' que a ajude a eliminar o sistema de segurança instalado no telefone e que está programado para eliminar todo o conteúdo do dispositivo após 10 tentativas de entrada (contrassenhas).

Isto permitiria à agência federal usar o método conhecido como "força bruta", que utiliza um computador para experimentar um grande número de combinações de contrassenhas até acertar na correta.

A juíza federal Sheri Pym ordenou na terça-feira da semana passada que a Apple ajude os agentes do FBI.

A Apple pediu na resposta formal à juíza Pym que anule a ordem, cuja aceitação provocaria, segundo a empresa, "um dano significativo nas liberdades civis, na sociedade e na segurança nacional".

O advogado da Apple disse hoje que o que pretende o governo equivale a criar um tendão de Aquiles no iPhone.

"A segurança do iPhone é a razão pela qual muita, muita gente compra o telefone", afirmou Olsen, insistindo que a Apple é "muito sensível" aos esforços do governo para proteger os cidadãos e cumpriu todas as solicitações "legais" do governo para partilhar dados de clientes.

O assessor jurídico da Apple assegura que, neste caso em concreto, o governo extravasou a sua autoridade legal.

Lusa

  • Chuva deixa em alerta 12 distritos do continente

    País

    Doze distritos do continente estão hoje sob aviso amarelo devido à previsão de chuva, que pode ser pontualmente forte e acompanhada por trovoadas e granizo, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera.

  • Parceiros sociais retomam hoje discussão sobre legislação laboral

    Economia

    Os parceiros sociais retomam esta tarde a discussão sobre as alterações à legislação laboral nas áreas do combate à precariedade, promoção da negociação coletiva e reforço da inspeção do trabalho. No encontro, marcado para as 15:00 no Conselho Económico e Social (CES), em Lisboa, o ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Vieira da Silva, deverá apresentar um novo documento com alterações face ao que foi proposto aos parceiros sociais há dois meses.

  • Sabia que pode emprestar dinheiro a empresas e ganhar 7% em juros por ano?
    8:05
  • A experiência de um embaixador português na Coreia do Norte
    2:58

    País

    A Coreia do Norte tem o maior orçamento militar do mundo e o seu arsenal nuclear acaba por dar-lhe acesso a uma possível cimeira com os Estados Unidos. A pobreza e o culto da personalidade foram testemunhados pelo embaixador, José Manuel de Jesus, que visitou várias vezes Pyongyang.

  • EUA expulsa dois diplomatas venezuelanos e dá-lhes 48 horas para deixarem o país

    Mundo

    Os Estados Unidos anunciaram, na quarta-feira, a expulsão de dois diplomatas venezuelanos, aos quais deu um prazo de 48 horas para sairem do país. A decisão é a resposta ao anúncio de Presidente da Venezuela de expulsar o encarregado de negócios e o chefe da secção política da embaixada dos Estados Unidos em Caracas, Todd Robinson e Brian Naranjo, respetivamente.