sicnot

Perfil

Mundo

Riade acusa Rússia e regime de Damasco de violarem trégua na Síria

O ministro dos Negócios Estrangeiros saudita, Adel al-Jubeir, acusou hoje a Rússia e o regime do Presidente Bachar al-Assad de "violarem a trégua" acordada na Síria, depois das denúncias russas.

Adel al-Jubeir, ministro dos Negócios Estrangeiros saudita.

Adel al-Jubeir, ministro dos Negócios Estrangeiros saudita.

© Max Rossi / Reuters (Arquivo)

"Há violações da trégua da parte da aviação russa e da aviação do regime sírio", declarou o ministro, numa conferência de imprensa em Riade.

Os principais intervenientes no conflito sírio acusam-se, assim, mutuamente de terem violado o cessar-fogo.

O general Serguei Kouralenko, responsável pelo centro russo para a reconciliação dos partidos beligerantes na Síria, acusou os insurgentes de terem quebrado por nove vezes o acordo de final das hostilidades iniciado por Washington e Moscovo, acrescentando que, de "maneira geral, o cessar-fogo na Síria (estava) a ser concretizado".

Já o porta-voz do alto comité das negociações respondeu que no "sábado, houve 15 violações (da trégua) pelas forças do regime, das quais duas pelo (movimento chiita libanês) Hezbollah".

Mas, "globalmente, está bem melhor do que antes e as pessoas sentem-se bem", salientou o responsável Salem al-Meslet a partir de Riade, onde está a sede do alto comité.

Aviões bombardearam na madrugada de hoje seis localidades da província de Alepo, no norte, e de Hama, no centro do país, segundo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos e o seu diretor precisou que estas intervenções causaram um morto.

Nas grandes cidades sírias, os habitantes saíram hoje de casa para fazer as suas compras depois de uma noite pacífica, aproveitando uma calma que não é habitual, e os alunos, habituados a caminhar perto das paredes, andavam no meio da rua, segundo relatam correspondentes da AFP.

Lusa

  • Cessar-fogo na Síria não silenciou som das bombas
    2:05

    Mundo

    O cessar-fogo que entrou hoje em vigor na Síria não silenciou por completo a artilharia e som das bombas. Apesar da calma tensa vivida nas principais cidades, há registo de incidentes esporádicos. Os grupos que não estão incluídos no acordo, como o daesh, aproveitaram o caminho aberto pelas tréguas

  • Cumprimento do cessar-fogo na Síria avaliado esta tarde
    1:47

    Mundo

    Uma nova reunião do grupo de trabalho sobre a Síria realiza-se esta tarde, em Genebra, para avaliar como foi respeitado o cessar-fogo nas primeiras horas desde a sua entrada em vigor. O anúncio foi feito pelo enviado especial da ONU para o país, Staffan de Mistura, durante uma conferência de imprensa na cidade suíça, depois da sua intervenção perante o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas.

  • Cessar-fogo na Síria já entrou em vigor

    Mundo

    O cessar-fogo na Síria entrou esta noite em vigor. O acordo entre os Estados Unidos e a Rússia, aceite pelo regime de Bashar al-Assada e por 100 fações da oposição, começou à meia-noite, hora local, 22 horas em Lisboa.

  • ANACOM apresenta recomendações para melhorar redes de telecomunicações
    1:17

    País

    A ANACOM entregou um conjunto de recomendações ao Governo, Parlamento, municípios e operadores de telecomunicações. A autoridade reguladora em Portugal das comunicações eletrónicas propõe que os cabos aéreos de telecomunicações sejam substituídos por cabos subterrâneos, entre outras coisas. O objetivo é impedir que as redes fiquem em baixo perante incêndios ou outras catástrofes.

  • Ministra do Mar não aceita suspensão da pesca da sardinha
    2:39

    Economia

    O organismo científico que aconselha a Comissão Europeia em matéria de pescas recomendou esta sexta-feira que Portugal e Espanha não pesquem sardinha no próximo ano. A Ministra do Mar não aceita esta recomendação de capturas zero e vai propor uma redução do limite de capturas de sardinha das 17 mil toneladas deste ano para cerca de 14 mil em 2018.

  • Atividade económica regista crescimento

    Economia

    A atividade económica portuguesa está a crescer ao maior ritmo dos últimos 17 anos. O crescimento registado em setembro é o mais elevado desde janeiro de 2000. Já o consumo privado registou uma diminuição face a agosto.

    SIC