sicnot

Perfil

Mundo

Riade acusa Rússia e regime de Damasco de violarem trégua na Síria

O ministro dos Negócios Estrangeiros saudita, Adel al-Jubeir, acusou hoje a Rússia e o regime do Presidente Bachar al-Assad de "violarem a trégua" acordada na Síria, depois das denúncias russas.

Adel al-Jubeir, ministro dos Negócios Estrangeiros saudita.

Adel al-Jubeir, ministro dos Negócios Estrangeiros saudita.

© Max Rossi / Reuters (Arquivo)

"Há violações da trégua da parte da aviação russa e da aviação do regime sírio", declarou o ministro, numa conferência de imprensa em Riade.

Os principais intervenientes no conflito sírio acusam-se, assim, mutuamente de terem violado o cessar-fogo.

O general Serguei Kouralenko, responsável pelo centro russo para a reconciliação dos partidos beligerantes na Síria, acusou os insurgentes de terem quebrado por nove vezes o acordo de final das hostilidades iniciado por Washington e Moscovo, acrescentando que, de "maneira geral, o cessar-fogo na Síria (estava) a ser concretizado".

Já o porta-voz do alto comité das negociações respondeu que no "sábado, houve 15 violações (da trégua) pelas forças do regime, das quais duas pelo (movimento chiita libanês) Hezbollah".

Mas, "globalmente, está bem melhor do que antes e as pessoas sentem-se bem", salientou o responsável Salem al-Meslet a partir de Riade, onde está a sede do alto comité.

Aviões bombardearam na madrugada de hoje seis localidades da província de Alepo, no norte, e de Hama, no centro do país, segundo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos e o seu diretor precisou que estas intervenções causaram um morto.

Nas grandes cidades sírias, os habitantes saíram hoje de casa para fazer as suas compras depois de uma noite pacífica, aproveitando uma calma que não é habitual, e os alunos, habituados a caminhar perto das paredes, andavam no meio da rua, segundo relatam correspondentes da AFP.

Lusa

  • Cessar-fogo na Síria não silenciou som das bombas
    2:05

    Mundo

    O cessar-fogo que entrou hoje em vigor na Síria não silenciou por completo a artilharia e som das bombas. Apesar da calma tensa vivida nas principais cidades, há registo de incidentes esporádicos. Os grupos que não estão incluídos no acordo, como o daesh, aproveitaram o caminho aberto pelas tréguas

  • Cumprimento do cessar-fogo na Síria avaliado esta tarde
    1:47

    Mundo

    Uma nova reunião do grupo de trabalho sobre a Síria realiza-se esta tarde, em Genebra, para avaliar como foi respeitado o cessar-fogo nas primeiras horas desde a sua entrada em vigor. O anúncio foi feito pelo enviado especial da ONU para o país, Staffan de Mistura, durante uma conferência de imprensa na cidade suíça, depois da sua intervenção perante o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas.

  • Cessar-fogo na Síria já entrou em vigor

    Mundo

    O cessar-fogo na Síria entrou esta noite em vigor. O acordo entre os Estados Unidos e a Rússia, aceite pelo regime de Bashar al-Assada e por 100 fações da oposição, começou à meia-noite, hora local, 22 horas em Lisboa.

  • Celebridades protestam contra Donald Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • "Há sobretudo um fosso entre o discurso que Trump faz e os discursos de Obama"
    6:13

    Opinião

    Cândida Pinto e Ricardo Costa estiveram no Jornal da Noite da SIC, onde analisaram a tomada de posse de Donald Trump. O Diretor de Informação da SIC disse que o discurso de Trump "mexe com a sua base de apoio" e defende que "a grande questão não vai ser a relação com a Rússia, mas sim com a China". Já a Editora de internacional disse que o discurso foi "voltado para dentro, nacionalista, partidarista, com ataque à elite de Washington".

    Ricardo Costa e Cândida Pinto

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Encontrados dez sobreviventes no hotel engolido por um avalanche em Itália
    1:44
  • Videoclipe mostra mulheres a fazer tudo o que é proibido na Arábia Saudita
    1:55

    Mundo

    Um grupo de mulheres canta, dança e faz outras coisas proibidas na Arábia Saudita como forma de protesto. O vídeo é uma crítica social à forma como as mulheres islâmicas são tratadas pelos maridos. Na letra constam frases como "Faz com que os homens desapareçam da terra" e "Eles provocam-nos doenças psicológicas". A ideia partiu de um homem, Majed al-Esa e já conta com 5 milhões de visualizações.

    Patrícia Almeida