sicnot

Perfil

Mundo

Caracas sem água quatro dias por semana devido a seca causada pelo El Niño

A empresa estatal responsável pelo abastecimento de água na Venezuela, Hidrocapital, anunciou hoje a implementação de um novo "plano especial de abastecimento" que prevê que vários setores da cidade de Caracas estejam sem água até quatro dias por semana.

A medida tem como propósito preservar as reservas de água na Venezuela, afetadas pela intensa seca provocada pelo fenómeno meteorológico El Niño.

O racionamento de água afetará quase 5,1 milhões de habitantes dos cinco municípios (Libertador, Baruta, Chacao, El Hatillo e Sucre) do Distrito Metropolitano.

O maior e mais populoso município Libertador será o mais afetado, uma vez que terá abastecimento de água apenas três vezes por semana, uma das vezes durante o dia e as outras duas em horário noturno.

Segundo a Hidrocapital, o abastecimento de água entre urbanizações dependerá das condições do sistema de distribuição, em função do nível de água da barragem de cada zona.

A 4 de janeiro último o Governo venezuelano anunciou a implementação de um "Plano de Abastecimento Especial" de água porque, segundo o ministro de Eco-socialismo e Águas, Ernesto Paiva, as reservas de água das 18 principais barragens do país estavam a níveis "alarmantes".

Dados divulgados pela imprensa venezuelana, em fevereiro, dão conta de que barragens como a de Água Fria e a de Ocumarito contavam com reservas de água para menos de três meses.

A 19 de fevereiro, o ministro de Energia Elétrica da Venezuela, Luís Motta Domínguez, pediu aos venezuelanos para pouparem significativamente a energia elétrica, advertindo que a falta de água poderá conduzir o país "nas primeiras semanas de abril" a "um colapso elétrico".

Segundo aquele responsável, a barragem de El Guri, a principal do país, tem apenas "25% de água" o que tem obrigado as autoridades a aumentar a geração térmica de energia elétrica para poder abastecer a população.

Lusa

  • Bataglia deixou passar 12 milhões pela sua conta a pedido de Salgado
    2:05

    Operação Marquês

    O presidente da Escom e arguido na Operação Marquês Helder Bataglia terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, amigo de José Sócrates. O amigo de Sócrates e Bataglia terão combinado várias formas de não levantar suspeitas. A notícia é avançada pelo jornal Expresso na edição deste sábado.

  • Cágado tratado com implante impresso em 3D
    2:26
  • Patrões não aceitam alterações ao acordo de concertação social
    2:25

    Economia

    As confederações patronais foram esta sexta-feira ao Palácio de Belém dizer ao Presidente da República que não aceitam que o Parlamento faça alterações ao acordo de concertação social. Os patrões dizem ainda ter esperança que o Parlamento não chumbe o decreto-lei que reduz a TSU das empresas com salários mínimos.