sicnot

Perfil

Mundo

Caracas sem água quatro dias por semana devido a seca causada pelo El Niño

A empresa estatal responsável pelo abastecimento de água na Venezuela, Hidrocapital, anunciou hoje a implementação de um novo "plano especial de abastecimento" que prevê que vários setores da cidade de Caracas estejam sem água até quatro dias por semana.

A medida tem como propósito preservar as reservas de água na Venezuela, afetadas pela intensa seca provocada pelo fenómeno meteorológico El Niño.

O racionamento de água afetará quase 5,1 milhões de habitantes dos cinco municípios (Libertador, Baruta, Chacao, El Hatillo e Sucre) do Distrito Metropolitano.

O maior e mais populoso município Libertador será o mais afetado, uma vez que terá abastecimento de água apenas três vezes por semana, uma das vezes durante o dia e as outras duas em horário noturno.

Segundo a Hidrocapital, o abastecimento de água entre urbanizações dependerá das condições do sistema de distribuição, em função do nível de água da barragem de cada zona.

A 4 de janeiro último o Governo venezuelano anunciou a implementação de um "Plano de Abastecimento Especial" de água porque, segundo o ministro de Eco-socialismo e Águas, Ernesto Paiva, as reservas de água das 18 principais barragens do país estavam a níveis "alarmantes".

Dados divulgados pela imprensa venezuelana, em fevereiro, dão conta de que barragens como a de Água Fria e a de Ocumarito contavam com reservas de água para menos de três meses.

A 19 de fevereiro, o ministro de Energia Elétrica da Venezuela, Luís Motta Domínguez, pediu aos venezuelanos para pouparem significativamente a energia elétrica, advertindo que a falta de água poderá conduzir o país "nas primeiras semanas de abril" a "um colapso elétrico".

Segundo aquele responsável, a barragem de El Guri, a principal do país, tem apenas "25% de água" o que tem obrigado as autoridades a aumentar a geração térmica de energia elétrica para poder abastecer a população.

Lusa

  • Marcar cedo e resistir (ou como Portugal venceu Marrocos)

    Mundial 2018 / Portugal

    A seleção nacional alcançou hoje a primeira vitória no Mundial 2018, frente a Marrocos, em Moscovo. Cristiano Ronaldo (outra vez) marcou logo aos quatro minutos. Depois, Portugal pouco mais fez senão aguentar as investidas dos marroquinos, que ficam desde já afastados dos oitavos de final.

  • Fernando Santos dá um puxão de orelhas à equipa
    1:57
  • E vão quatro de Ronaldo
    1:58
  • Ronaldo, o motivador
    3:23
  • Os "memes" do desempenho de Cristiano Ronaldo frente a Marrocos
    1:25
  • Cristiano Ronaldo: o melhor do jogo, o melhor do Mundial, o melhor do mundo

    Mundial 2018 / Portugal

    Apesar da prestação de Rui Patrício na defesa da baliza lusa, Cristiano Ronaldo foi eleito o homem do jogo, pela segunda vez consecutiva, depois de marcar o golo que deu a vitória a Portugal frente a Marrocos. O capitão português ofereceu à equipa os três pontos essenciais para a eventual passagem aos oitavos de final. Mas Ronaldo não fica por aqui. Contas feitas, CR7 é o melhor marcador do Mundial (4 golos em 2 jogos) e já marcou 85 golos por Portugal, feito nunca antes alcançado nem por Eusébio nem por Pauleta. No auge dos 33 anos, há quem diga que Ronaldo "é como o vinho do Porto". Será que ainda vai chegar à marca dos 100? Parece que, para o CR7, nada é impossível.

  • Parecia que Rui Patrício tinha cola nas luvas
    5:40
  • Os momentos descontraídos dos jogadores que estão no Mundial
    1:54
  • Selecionador de Marrocos queixa-se da arbitragem
    1:41
  • Georgina Rodriguez assistiu ao jogo de Portugal e acenou a Ronaldo
    1:05
  • Ronaldo no País dos Sovietes: O humor russo
    1:32
  • Schulz responde a Trump: "é um especialista em estatísticas criminais"

    Mundo

    "Donald Trump é um especialista em estatísticas criminais: pagamentos a estrelas porno, contactos ilegais com russos e diretores de campanha presos". Foi assim que o deputado alemão Martin Schulz respondeu ao Presidente norte-americano, depois de este ter afirmado várias vezes que a criminalidade na Alemanha aumentou devido à imigração.

    SIC

  • "Vou pedir a alguém que dê esta notícia por mim". Jornalista emociona-se com o caso dos bebés mexicanos separados das famílias
    0:49