sicnot

Perfil

Mundo

Empresa diz ter pago ilicitamente despesas da campanha de Dilma Rousseff

A multinacional brasileira Andrade Gutierrez disse ter pago ilicitamente despesas com fornecedores da campanha eleitoral da Presidente Dilma Rousseff, de acordo com um acórdão citado hoje pelo jornal Folha de São Paulo.

Eraldo Peres

A revelação foi feita no acordo para a delação premiada de 11 executivos da empresa e o pagamento terá ocorrido através de um contrato fictício de prestação de serviços e a pedido direto de um dos coordenadores da campanha do Partido dos Trabalhadores (PT), a formação política de Dilma Rousseff.

O fornecedor conhecido até aqui, segundo pessoas que tiveram acesso aos detalhes do acordo e citadas pelo diário brasileiro, é a agência de comunicação Pepper, que trabalhou para Dilma em 2010.

Esta é a primeira citação direta de irregularidades apuradas no âmbito da Operação Lava Jato que envolve a campanha eleitoral da Presidente brasileira.

Para efeitos contabilísticos, a empresa terá feito um contrato fictício com a Pepper, sendo o valor envolvido de 5 milhões de reais (1,147 milhões de euros), avança o diário.

Nesse ano, a empresa fez três doações oficiais para o comité financeiro da campanha de Dilma Rousseff, entre agosto e outubro, que totalizam 5,1 milhões (1,170 milhões de euros).

Já a campanha da atual Presidente declarou gastos de 6,4 milhões de reais (1,468 milhões de euros) com a agência Pepper.

Tratando-se da campanha de 2010, segundo o jornal, se o crime for provado, não haverá implicações diretas na Justiça Eleitoral, como perda do mandato, porque o governo terminou funções em 2014.

Contactado pela Lusa, o PT disse não ter comentários a fazer de momento.

Lusa

  • Frio no fim de semana, regiões do interior podem chegar aos -5 °C
    1:23

    País

    A Proteção Civil emitiu um alerta para o tempo frio e seco e pede cuidados redobrados. As temperaturas já começaram a descer, com regiões a registarem valores negativos. No interior, podem chegar aos 5 graus negativos. Até ao Natal o tempo vai manter-se frio, seco e com ausência de chuva.

  • Bombeiro ferido nos fogos de Pedrógão Grande regressou a casa
    2:33

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Seis meses depois dos incêndios de Pedrógão Grande, regressou a casa o último dos bombeiros de Castanheira de Pera que estava internado desde junho. Rui Rosinha esteve em coma mais de dois meses e tem ainda pela frente uma longa recuperação. O bombeiro não quer que o país esqueça o que aconteceu e espera que as duas tragédias deste ano (fogos de junho e outubro) sirvam de lição para o futuro.

  • Pedrógão Grande, seis meses depois - documentário Expresso
    0:29
  • Fitch retira Portugal do "lixo"
    2:20
  • PS volta a subir nas intenções de voto e não baixa dos 40%
    2:01
  • Marcelo evita "ideia de que o ano foi todo muito bom"
    3:14

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa disse esta sexta-feira que 2017 teve "o melhor e o pior" e que "é preciso evitar a "ideia que o ano foi todo muito bom". O Presidente da República fez estas declarações depois de António Costa ter dito que a nível económico este "foi um ano particularmente saboroso".