sicnot

Perfil

Mundo

Ban Ki-moon pede ao seu enviado para relançar negociações sobre Saara Ocidental

O secretário-geral da ONU anunciou hoje em Argel ter pedido ao seu enviado para o Saara Ocidental para retomar as suas visitas à região no sentido de relançar as negociações entre Marrocos e a Frente Polisário.

© Denis Balibouse / Reuters

Rabat e o movimento independentista Polisário disputam há 40 anos a antiga colónia espanhola e "não avançaram nas negociações que deverão conduzir a uma solução justa e aceitável com base na autodeterminação do povo do Saara Ocidental", disse Ban Ki-moon numa conferência de imprensa.

O enviado especial da ONU para o Saara Ocidental, Christopher Ross, recomeçou os seus esforços diplomáticos em fevereiro de 2015 e visita a região no final de setembro e em novembro sem grande sucesso.

Ban anunciou igualmente que vai convocar em breve "uma reunião de doadores com o objetivo de reunir fundos para que as necessidades dos refugiados saarauis possam ser satisfeitas".

Cerca de 200.000 saarauis vivem nos campos de refugiados em território argelino na região de Tindouf (1.800 quilómetros a sudoeste de Argel).

O secretário-geral das Nações Unidas, que se deslocou no sábado ao campo de refugiados de Smara, perto de Tindouf, declarou-se "profundamente entristecido com esta tragédia humanitária".

"Ontem (sábado) em Tindouf, encontrei refugiados que sofrem há gerações. Falei com jovens que perdem a fé no futuro. Prometi-lhes tudo fazer para que as coisas avancem", sublinhou.

Há nove anos à frente da ONU, esta foi a primeira visita de Ban ao Saara Ocidental, território que tem quase três vezes o tamanho de Portugal e menos de um milhão de habitantes.

A Missão das Nações Unidas para o Referendo no Saara Ocidental (MINURSO) está no terreno desde 1991 e ainda não conseguiu organizar um referendo de autodeterminação.

A Frente Polisário, que é apoiada pela Argélia, reivindica a independência do Saara Ocidental através daquele referendo, enquanto Marrocos defende uma ampla autonomia para o território sob a sua soberania.

Lusa

  • A morte das sondagens foi ligeiramente exagerada

    Opinião

    Um atentado sem efeitos eleitorais, sondagens que acertaram em praticamente tudo, inexistência do chamado eleitorado envergonhado. E um candidato que se situa no centro político com fortíssimas hipóteses de vencer a segunda volta. As presidenciais francesas tiveram uma chuva de acontecimentos anormais, mas acabam por ser um choque de normalidade. Pelo menos até agora...

    Ricardo Costa

  • Fuga de Vale de Judeus em junho de 1975 no Perdidos e Achados
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

    Hoje no Jornal da Noite

  • Pj ainda não fez detenções relacionadas com atropelamento de adepto italiano
    1:52

    Desporto

    As autoridades policiais confirmaram à SIC que o atropelamento que fez este sábado uma vítima mortal, junto ao Estádio da Luz, não terá sido acidental. A Policia Judiciária já saberá quem foi o autor do atropelamento. O homem faria parte do grupo de adeptos do Benfica, que se envolveram em confrontos com adeptos do Sporting.