sicnot

Perfil

Mundo

Esconderijo de armas descoberto na Irlanda do Norte

A polícia norte-irlandesa anunciou hoje a descoberta de um importante esconderijo de armas a norte de Belfast, fazendo aumentar os receios de uma eventual campanha de violência para marcar o centenário da revolta de 1916 contra o Reino Unido.

© George Frey / Reuters

Explosivos e outro material que serve para fabricar bombas foram encontrados enterrados num parque florestal perto de Larne, a 50 quilómetros a norte de Belfast.

"É demasiado cedo para ligar esta descoberta a um grupo preciso, mas seguimos diversas pistas", declarou o inspetor-chefe da polícia norte-irlandesa Gillian Kearney, sublinhando que o parque está fechado até nova ordem.

A descoberta deste esconderijo acontece 24 horas depois de dois engenhos explosivos terem sido encontrados e desativados a oeste de Belfast.

Além disso, na sexta-feira, um guarda prisional ficou ferido na explosão de um engenho artesanal colocado sob a sua carrinha, num ataque atribuído a grupos dissidentes republicanos.

Depois da explosão, a polícia deu conta da sua preocupação, declarando que "algumas pessoas entre os grupos dissidentes republicanos" queriam marcar de modo "sinistro" o centésimo aniversário da revolta irlandesa de 1916, esmagada pelas tropas britânicas.

Entre 24 de abril e 01 de maio de 1916, 500 revoltosos morreram, 2.500 ficaram feridos e mais de 2.000 foram detidos no que ficou conhecido como a "Insurreição da Páscoa".

A coroa britânica condenou à morte os sete signatários da declaração dos direitos soberanos do povo irlandês redigida pelos insurgentes.

Aquela revolta contra o poder britânico falhou, mas constitui um fator chave na luta dos irlandeses que conduziu à independência da República da Irlanda em 1922. A Irlanda do Norte permaneceu ligada ao Reino Unido.

Lusa

  • GNR só teve acesso às imagens das agressões em Alcochete 12 horas depois
    1:42

    Crise no Sporting

    A GNR não pôde visionar as imagens de videovigilância da Academia de Alcochete logo que chegou ao local. O sistema estava inoperacional, o que fez com que as imagens só fossem entregues quase 12 horas depois do ataque à equipa do Sporting. Entre as provas recolhidas, estão também impressões digitais e vestígios de sangue encontrados na zona do balneário.

  • Juiz considera que agressões em Alcochete foram "ato terrorista"
    1:59

    Crise no Sporting

    O juiz que decretou a prisão preventiva dos 23 detidos pelo ataque à Academia do Sporting considera que se tratou de um ato terrorista. Diz mesmo que os agressores tiveram um comportamento chocante e que perverte o espírito desportivo. Sete dos 23 detidos já foram condenados por outros crimes, mas não chegaram a pena de prisão.

  • Gonçalo Guedes: o menino franzino que jogava mais que os outros em Benavente
    8:47
  • A promessa que João Mário vai ter de cumprir se Portugal for campeão
    1:36
  • Aprovadas mudanças no acesso ao ensino superior

    País

    O Governo aprovou esta quinta-feira o decreto-lei que estabelece o currículo dos ensinos básico e secundário, bem como os princípios orientadores da avaliação, voltando a nota de Educação Física a contar para a média de acesso ao ensino superior. No caso dos alunos do ensino profissional, são eliminados requisitos considerados discriminatórios no acesso ao ensino superior.

  • Universidade de Coimbra não retira Honoris Causa a Lula
    3:30
  • Estudo acaba com teorias da conspiração sobre a morte de Hitler

    Mundo

    Existem algumas versões sobre o desaparecimento do ditador nazi, Adolf Hitler. Há quem diga que viajou para um país da América do Sul, outros acreditam que está escondido na Antártida e há até quem vá mais longe e acredita que estaria na Lua. Mas, teorias da conspiração à parte, a história oficial diz que Hitler suicidou-se num bunker, em Berlim, Alemanha.

    SIC