sicnot

Perfil

Mundo

Obama afirma que Nancy Reagan "redefiniu papel de primeira-dama"

O presidente norte-americano lamentou hoje a morte de Nancy Reagan, que "redefiniu o papel de primeira-dama" nos Estados Unidos e se transformou "numa voz para milhões de famílias" afetadas pela devastadora doença de Alzheimer.

(Arquivo/Reuters)

(Arquivo/Reuters)

© Kevin Lamarque / Reuters

Em comunicado, Obama e a mulher, Michelle, enviaram as condolências à família de Nancy Reagan, que morreu hoje aos 94 anos, na sequência de uma falha cardíaca, na residência de Los Angeles (Califórnia).

"Nancy Reagan escreveu uma vez que nada a podia preparar para viver na Casa Branca. Claro que tinha razão. Mas nós tivemos uma vantagem, porque tivemos a sorte de beneficiar do seu orgulhoso exemplo e calorosos e generosos conselhos", afirmou.

"A nossa antiga primeira dama redefiniu esse papel durante o tempo que passou na Casa Branca", acrescentou.

Nancy "transformou-se numa voz que falava pelos milhões de famílias que sofrem os efeitos da devastadora e dolorosa realidade do Alzheimer", disse.

Desde a morte do ex-presidente republicano Ronald Reagan em 2004, Nancy "adotou um novo papel, como ativista a favor dos tratamentos que têm o potencial e a promessa de melhorar e salvar vidas", acrescentou, numa referência à defesa por Nancy Reagan da investigação com células estaminais, matéria sobre a qual se opôs à administração do republicano George W. Bush.

"Enviamos as nossas sinceras condolências aos filhos, Patti, Ron e Michael, e aos seus netos. Agradecemos a vida de Nancy Reagan, os seus conselhos e rezamos para que ela e o marido estejam novamente juntos", concluiu o comunicado da Casa Branca.

A antiga primeira-dama (1981-1989) vai ser sepultada junto do marido na biblioteca presidencial Ronald Reagan, em Simi Valley (Califórnia), anunciou a instituição.

Lusa

  • Primeiro eclipse solar 100% visível nos EUA em 38 anos
    0:40
  • "É muito importante que os EUA mostrem determinação política e militar"
    0:50

    Mundo

    Os exércitos da Coreia do Sul e dos Estados Unidos iniciaram hoje as manobras anuais numa altura marcada pela recente escalada de tensão entre Pyongyang e Washington. Para Miguel Monjardino, comentador da SIC, estes exercícios militares são encarados como uma provocação para a Coreia do Norte. Monjardino defende que é importante que os EUA mostrem determinação no atual clima de tensão nuclear.

  • Campanha eleitoral em Angola chega hoje ao fim

    Mundo

    Os candidatos às eleições gerais angolanas de quarta-feira terminam hoje um mês de campanha, com milhares de quilómetros percorridos, uma breve aparição de José Eduardo dos Santos e as possíveis coligações em destaque.

  • China prepara-se para inaugurar comboio mais rápido do mundo
    1:08