sicnot

Perfil

Mundo

Acorda do coma e dá de caras com agressor

Foi considerado um herói na China. Todos os dias, durante oito meses, esteve ao lado da namorada que estava em coma, no hospital. Até ao dia em que ela acorda.

Liu Fenghe é acusado de provocar o coma à namorada

Liu Fenghe é acusado de provocar o coma à namorada

Não ganhou para o susto, Lin Yingying de 22 anos. Mal acordou do coma deu de caras com o responsável pelo seu estado vegetativo, que durou oito meses.

O insólito da história é o facto de o namorado ter sido considerado um herói por ter passado todos estes meses ao seu lado, no hospital.

Agora sabe-se que Liu Fenghe, de 24 anos, foi quem provocou o coma. É acusado de ter agredido violentamente a Lin, em setembro de 2014.

A vítima revelou que o namorado lhe bateu com um rolo por ter queimado acidentalmente 20 pães na pastelaria detida pelos dois em Liaoning, China. Recorda-se de cair ao chão e de ouvir o namorado a chamar a ambulância.

Esta não terá sido uma agressão isolada, conta Lin que acredita que o namorado só permaneceu ao lado dela durante estes oito meses por se sentir culpado.

que

  • Polémica "Supernanny" em debate hoje na SIC
    2:25
  • Centeno aponta para a reforma e expansão do euro
    0:32

    Economia

    O ministro das Finanças português participa hoje na primeira reunião enquanto presidente do Eurogrupo. À entrada para o encontro dos ministros das Finanças da moeda única, Mário Centeno apontou a reforma do Euro como um dos principais desafios do mandato que agora inicia. 

  • Puigdemont chegou à Dinamarca e não foi detido

    Mundo

    O Ministério Público espanhol pediu ao tribunal supremo para voltar a emitir um mandado europeu de detenção contra o ex-presidente da Catalunha, Carles Puigdemont, que se deslocou à Dinamarca para participar numa conferência. O Supremo rejeitou no entanto o pedido. Entretanto na Catalunha, o presidente do parlamento propôs Puigdemont para voltar a dirigir o Governo Regional.

  • O caso Assange é "um problema" para o Equador

    Mundo

    O Presidente equatoriano, Lenin Moreno, declarou no domingo que o asilo atribuído ao fundador do WikiLeaks, Julian Assange, pela embaixada do Equador em Londres desde 2012 é "um problema herdado" que constitui "mais que um aborrecimento".