sicnot

Perfil

Mundo

Queriam saber como era matar

Luca Varani tinha 23 anos e foi morto na passada sexta-feira em Roma. Os autores confessaram o crime e alegaram que queriam saber como era matar alguém.

(Arquivo)

(Arquivo)

© STRINGER Italy / Reuters

A história do homicídio de Luca Varani está a chocar a Itália. Dois amigos foram detidos e confessaram o crime e o motivo que, mais do que surpreendente, é assustador: queriam saber como é matar alguém. As autoridades suspeitam que terão cometido o crime sob o efeito de álcool e cocaína.

Assim que a polícia entrou no apartamento de Manuel Foffo, amigo do senhorio da vítima, encontrou Varani com uma faca no peito, segundo conta o jornal italiano Corriere de la Sera. Marco Prato, o senhorio, é conhecido por organizar festas homossexuais em Roma e, ao que parece, terá atraído o jovem de 23 anos para o apartamento de Foffo na quinta-feira à noite.

Os dois suspeitos gastaram mais de 1.800 euros em drogas e depois enviaram uma mensagem a Luca Varani na qual lhe ofereciam 100 euros em troca de sexo. Foi desta forma que o jovem foi atraído ao apartamento onde terá sido atacado com um martelo que o deixou inconsciente e onde terá sido, depois, torturado durante a noite de quinta-feira e morto apenas no dia seguinte. Foi encontrado com a cara desfigurada e com marcas de ter sido atacado com um objeto cortante no pescoço.

Num interrogatório feito pela polícia, Manuel Foffo confessou que o crime ficou decidido antes da chegada de Varani. O homem admitiu "O Luca sofreu horrivelmente". Após cometerem o homicídio, os dois homens limparam o apartamento e passaram o resto do dia em casa. "Depois dormimos com o cadáver", concluiu.

Os dois suspeitos estão a ser acusados de homicídio com especial perversidade.

  • Governo vai avaliar situação da associação Raríssimas
    1:41

    País

    O Governo promete avaliar a situação da instituição Raríssimas e agir em conformidade, depois da denúncia de alegadas irregularidades na gestão financeira. A presidente da instituição terá usado dinheiro da Raríssimas para gastos pessoais como vestidos de alta-costura e alimentação. Esta é uma instituição que apoia doentes e famílias que convivem de perto com doenças raras. 

  • Diáconos permanentes: quem são e que cargo ocupam na comunidade católica
    10:04
  • Múmia quase intacta descoberta em Luxor
    1:23

    Mundo

    O Egito anunciou, este sábado, a descoberta de dois pequenos túmulos com 3.500 anos na cidade de Luxor. Foram também encontrados uma múmia em bom estado de conservação, uma estátua do deus Ámon Ra e centenas de artefactos de madeira e cerâmica ou pinturas intactas.