sicnot

Perfil

Mundo

Inventor da substância Meldonium diz que "dois milhões" a consomem regularmente

O cientista letão Ivar Kalvinsh assegurou hoje que "dois milhões de pessoas consomem regularmente" a substância Meldonium, de que foi inventor, incluída pela Agência Mundial Antidopagem (AMA) na lista de produtos proibidos.

Ben Nichols, porta-voz da AMA afirmou que desde 1 de janeiro de 2016, data na qual o meldonium passou a ser interdito, houve 99 casos positivos registados.

Ben Nichols, porta-voz da AMA afirmou que desde 1 de janeiro de 2016, data na qual o meldonium passou a ser interdito, houve 99 casos positivos registados.

© Ints Kalnins / Reuters

"Recomendo-a a todos. Eu também a tomo quando me sinto cansado. Tomo-a durante 10 dias e fico como novo", assinalou Kalvinsh, de 68 anos, em declarações à Efe.

Kalvinsh manifestou-se "indignado" com a decisão da AMA de proibir a substância Meldonium, sem consultar o seu criador ou apresentar análises clínicas que confirmem que melhora o rendimento dos atletas profissionais.

"É inadmissível que consideram dopante um fármaco que está no mercado há 32 anos", protestou, acrescentando que o Meldonium "é único" e que os países ocidentais "decidiram por isso proibi-lo".

Para Ivar Kalvinsh, "há muita política" na decisão de proibir o uso da substância.

"Querem misturar desporto e política. Não há investigações que confirmem que o Meldonium é uma substância dopante. O que sucede é que se aperceberam que muitos campeões desta região, como [Maria] Sharapova a tomam, é essa a razão", afirmou.

Maria Sharapova revelou na segunda-feira que teve um controlo positivo a meldonium, uma substância que toma desde 2006 e que se tornou proibida este ano, assumindo que não tinha visto a lista atualizada de produtos proibidos.

De acordo com a ITF, a russa foi controlada a 26 de janeiro no Open da Austrália, num teste que revelou a presença do produto proibido, tendo a tenista reconhecido a existência da substância. Maria Sharapova será suspensa preventivamente a partir de 12 de março, até que o caso esteja resolvido.

A russa, que venceu cinco torneios do 'Grand Slam', foi eliminada nos quartos de final do Open da Austrália, que se disputou no final de janeiro.

No entender do cientista natural da Letónia soviética, a substância Meldonium é um fármaco destinado a "salvar vidas", especialmente útil em caso de desportistas profissionais que submetem o seu aparelho cardiovascular a esforços extremos, com os riscos inerentes.

"O atleta que toma este fármaco pode esforçar-se sem risco. Mas isso não é dopagem. O Meldonium protege o seu coração, mas o rendimento depende inteiramente das suas qualidades fisiológicas. Ninguém que o tome se torna num super-homem da noite para o dia", sublinhou.

Lusa

  • Marcelo e Costa unidos contra contagem do tempo integral de serviço
    2:45

    País

    Em menos de 24 horas, o Presidente da República e o primeiro-ministro deram publicamente sinais de que estão unidos contra a contagem de todo o tempo de serviço de professores e outros agentes do Estado para efeitos salariais. Marcelo Rebelo de Sousa e António Costa disseram que essa possibilidade é uma ilusão e que o país não tem condições para voltar aos níveis anteriores à crise.

  • Estudante português desaparecido no mar Báltico

    País

    Um jovem português de 21 anos desapareceu na segunda-feira, dia 13 de novembro, enquanto fazia uma viagem de cruzeiro entre a cidade finlandesa de Helsínquia e a capital da Suécia, Estocolmo. As autoridades locais fizeram buscas na madrugada em que Diogo Penalva caiu ao mar Báltico, por volta das duas da manhã.

  • Paris inaugura primeiro restaurante naturista

    Mundo

    Para entrar, é preciso retirar a roupa e apenas as mulheres podem permanecer calçadas. O primeiro restaurante naturista de Paris abriu em novembro para responder a uma necessidade em França, principal destino do mundo para os praticantes de nudismo.

  • Político indiano oferece 1,3 milhões por decapitação de atriz

    Mundo

    Deepika Padukone é uma das personagens principais do filme que retrata a relação entre uma rainha hindu e um governante muçulmano. O filme enfureceu um político do Governo indiano, que ofereceu 1,3 milhões de euros como recompensa a quem decapitasse a atriz. A polícia já destacou agentes para proteger a atriz, bem como a sua família.