sicnot

Perfil

Mundo

Partido de Suu Kyi propõe o seu antigo motorista para Presidente de Myanmar

O partido de Aung San Suu Kyi propôs hoje para o cargo de Presidente da Birmânia o seu ex-motorista, professor universitário e companheiro de luta de longa data da Nobel da Paz.

© Soe Zeya Tun / Reuters

"Eu quero propor U Htin Kyaw em nome da LND", declarou no parlamento Khin San Hlaing, deputado da Liga Nacional para a Democracia (LND), o partido de Aung San Suu Kyi.

Htin Kyaw, de 69 anos, é amigo de infância de Aung San Suu Kyi e foi seu motorista no passado, ajudando-a ainda a gerir uma fundação de caridade.

Filho de um famoso escritor birmanês, este economista não compareceu hoje no parlamento nem fez qualquer aparição pública até ao momento e o seu nome surge depois de meses de especulação.

Com maioria nas duas câmaras do parlamento, onde um quarto dos deputados são militares não eleitos, a LND está certa da eleção do seu candidato, que deve substituir o atual Presidente Thein Sein no início do próximo mês.

Htin Kyaw é o candidato da câmara baixa do parlamento.

O novo chefe de Estado birmanês será eleito entre três candidatos, dois deles propostos por cada uma das câmaras do parlamento e um terceiro pelo exército, de acordo com a Constituição aprovada em 2008 pela última junta militar.

O partido de Aung San Suu Kyi ganhou as eleições legislativas de novembro de 2015.

Prémio Nobel da Paz em 1991, Suu Kyi, que a junta militar manteve sob detenção durante mais de 15 anos, está, porém, impedida de se candidatar à Presidência birmanesa devido a um artigo da Constituição que exclui pessoas casadas ou com filhos estrangeiros.

Uma disposição que se considera feita à medida, ou seja, para visar diretamente Suu Kyi, viúva de um britânico e com filhos de nacionalidade britânica.

Apesar de a candidatura à Presidência ser impossível, Aung San Suu Kyi, de 70 anos, garantiu que vai dirigir o próximo Governo, depois de o seu partido ter conquistado a maioria no parlamento naquelas que foram as primeiras eleições livres em mais de 25 anos.

Lusa

  • Paulo Macedo pede calma para o bem do banco
    1:45

    Caso CGD

    Paulo Macedo falou pela primeira vez desde que foi eleito o novo Presidente da Caixa Geral de Depósitos e, para o bem do banco público, pediu calma a todos. Passos Coelho veio dizer que a recapitalização da Caixa pode ter de ser feita no verão do próximo ano para salvaguardar o défice deste ano. Já António Costa preferiu não comentar as declarações de Passos e diz que o banco público há muito que precisava de ser recapitalizado.

  • Condutores continuam com dúvidas em como circular numa rotunda
    2:06

    País

    Circular nas rotundas continua a ser um problema para muitos condutores. Cerca de 3 mil foram multados nos últimos três anos depois da entrada em vigor do novo código, os números são avançados pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária. Os instrutores de condução dizem que a medida provoca mais confusão nas horas de ponta.

  • O que aconteceu à menina síria que relatava a guerra no Twitter?
    1:59
  • Youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Reportagem da SIC "Renegados"
    1:27

    Grande Reportagem SIC

    O youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Grande Reportagem SIC "Renegados". Desde ontem já teve 67 mil visualizações no Facebook. Imagine que ia renovar o cartão de cidadão e diziam-lhe que afinal não é português? Mesmo tendo nascido, crescido, estudado e trabalhado sempre em Portugal? Foi o que aconteceu a inúmeras pessoas que nasceram depois de 1981, quando a lei da nacionalidade foi alterada.«Renegados» é como se sentem estes filhos de uma pátria que os excluiu. Para ver, esta quarta-feira, no Jornal da Noite da SIC.

  • "A nossa guerra não deixou heróis, só vilões e vítimas"
    5:26

    Mundo

    Luaty Beirão é o rosto mais visível de um movimento de contestação ao regime angolano que começou em 2011, ano da Primavera árabe. Mas a par dos 15+2, mediatizados num processo que os condenou por lerem um livro, outros activistas arriscam diariamente a liberdade.