sicnot

Perfil

Mundo

Papa Francisco visita Auschwitz no final de julho

O papa Francisco vai visitar o antigo campo de concentração alemão de Auschwitz-Birkenau, no âmbito das Jornadas Mundiais da Juventude, que se realizam em Cracóvia no final de julho e que serão presididas pelo pontífice.

© Stefano Rellandini / Reuters

De acordo com o programa preliminar, no terceiro dia da sua visita à Polónia, Francisco deverá viajar até para Auschwitz, no sul do país, a 29 de julho, disse o presidente da agência de informação católica KAI, Marcin Przeciszewski.

Esta não é a primeira vez que um papa visita Auschwitz: João Paulo II visitou em 1979 o antigo campo, símbolo do Holocausto dos judeus da Europa, e Bento XVI também o fez em 2006.

O papa deverá permanecer cinco dias na Polónia, estando prevista a sua chegada a 27 de julho.

O programa prevê que, no segundo dia, Francisco visite o santuário mariano de Czestochowa, onde deverá celebrar uma missa para marcar o 1.050.º aniversário do batismo da Polónia.

No primeiro dia, e porque o papa é o chefe de Estado do Vaticano, Francisco deverá reunir-se com o presidente Andrzej Duda e outros altos funcionários.

O tema central do Dia Mundial da Juventude será a Misericórdia, segundo uma decisão do papa em relação a todo o ano de 2016.

Lusa

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.