sicnot

Perfil

Mundo

Novo Presidente de Myanmar será Htin Kyaw, homem de confiança de Suu Kyi

O parlamento de Myanmar (antiga Birmânia) elegeu hoje Htin Kyaw, um homem da confiança da Nobel da Paz Aung San Suu Kyi, para novo Presidente, tornando-se no primeiro chefe de Estado democraticamente eleito em décadas.

© Soe Zeya Tun / Reuters

O companheiro de luta de longa data da prémio Nobel da Paz, proposto pela Liga Nacional para a Democracia (LND), liderada por Aung San Suu Kyi, foi eleito, sob aplausos, com 360 votos de um total de 652 deputados.

Htin Kyaw, de 69 anos, impôs-se a Henry Van Thio - outro membro da LND, proposto pela câmara alta - e ao tenente-general Mying Swe, indicado pelas Forças Armadas, que tiveram 79 e 213 votos, respetivamente. Ambos vão ser nomeados vice-presidentes.

O Presidente e o novo Governo, cujo elenco deve ser anunciado nos próximos dias, assumem funções no próximo 01 de abril.

O economista Htin Kyaw, filho de um famoso poeta birmanês e amigo de infância e antigo motorista de Suu Kyi -- a qual foi a primeira a votar hoje na sessão conjunta do parlamento -- será o primeiro Presidente civil da Birmânia após quase meio século de ditadura militar seguida pela constituição de um Governo dirigido por antigos generais.

Depois da vitória nas legislativas realizadas em novembro, a LND tinha a certeza de que poderia eleger o seu candidatoa Presidente, pese embora a presença no parlamento de um quarto de deputados militares não eleitos.

Contudo, o partido não podia avançar com a candidatura da própria Aung San Suu Kyi, que ainda não especificou se fará parte do novo Governo ou se se irá manter como deputada.

Prémio Nobel da Paz em 1991, Suu Kyi, que a junta militar manteve sob detenção durante mais de 15 anos, está impedida de se candidatar à Presidência birmanesa devido ao artigo da Constituição que retira essa possibilidade a pessoas casadas ou com filhos estrangeiros. Uma disposição que se considera feita para visar diretamente Suu Kyi, viúva de um britânico e com filhos de nacionalidade britânica.

Apesar de a candidatura à Presidência ser impossível, Aung San Suu Kyi, de 70 anos, garantiu que iria dirigir o próximo Governo, depois de o seu partido ter conquistado a maioria no parlamento naquelas que foram as primeiras eleições livres em mais de 25 anos.

Lusa

  • Passos explica porque se irritou com Costa
    0:42

    Economia

    Depois das imagens em que surgiu visivelmente irritado com António Costa, no último debate quinzenal, Passos Coelho veio agora explicar porquê. Na discussão com o primeiro-ministro, o líder do PSD não gostou que Costa tivesse insinuado que a fuga de 10 mil milhões de euros para offshores tenha ocorrido por inação do Governo anterior.

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas.

  • Luaty Beirão agredido em manifestação em Luanda
    1:27

    Mundo

    Luanda tem sido palco de várias manifestações contra a forma como está a decorrer o processo eleitoral em Angola. Esta sexta-feira, uma dessas manifestações acabou em confrontos com as autoridades. Entre os manifestantes estava o ativista Luaty Beirão.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato.