sicnot

Perfil

Mundo

Lula da Silva toma posse como ministro em clima de protestos

O ex-Presidente Lula da Silva tomou posse, em Brasília, como ministro da Casa Civil, entre protestos pró e contra o Governo um pouco por todo o país. À chegada ao salão onde decorreu a cerimónia, Lula foi recebido com palavras de ordem como "Lula guerreiro do povo brasileiro".

globo.com

Foram igualmente empossados os novos ministros da Justiça, Eugénio Aragão, da Secretaria de Aviação Civil, Mauro Lopes, e ainda o chefe de Gabinete Pessoal da Presidência da República, Jaques Wagner.

As nomeações ocorrem em clima de protestos um pouco por todo o país, numa altura em que a Presidente Dilma Rousseff arrisca a abertura de um processo de impugnação.

Os manifestantes estão contra a escolha de Lula da Silva, investigado no âmbito da Operação Lava Jato, para ministro, o que confere ao ex-Presidente foro privilegiado, podendo apenas ser investigado pelo Supremo Tribunal Federal.

Os protestos acontecem também depois de terem sido divulgadas gravações de escutas de conversas entre Dilma Rousseff e Lula da Silva, em que a Presidente diz ao seu antecessor que mandou alguém entregar o termo de posse do ex-Presidente como ministro, para o caso de ser necessário.

As conversas foram gravadas pela Polícia Federal com autorização judicial antes de a Presidente anunciar publicamente que o ex-chefe de Estado seria ministro chefe da Casa Civil.

A Polícia Federal diz que as escutas demonstram a tentativa da Presidente de interferir nas investigações.

"Uma vez que o novo ministro, Luiz Inácio Lula da Silva, não sabia ainda se compareceria à cerimónia de posse coletiva, a Presidente encaminhou para sua assinatura o devido termo de posse. Este só seria utilizado caso confirmada a ausência do ministro", justificou a Presidência.

Na quarta-feira, houve protestos em várias cidades do país, incluindo em frente ao Palácio do Planalto, a sede do Governo, onde os manifestantes tentaram entrar e onde também se registaram animosidades entre manifestantes pró e contra Dilma.

Lusa

  • Juiz divulga escutas telefónicas polémicas entre Lula e Dilma
    2:20

    Operação Lava Jato

    A contestação no Brasil subiu de tom depois da divulgação de uma conversa telefónica entre Dilma Rousseff e Lula da Silva. As escutas foram tornadas públicas ontem pelo juiz do processo Lava Jato e estão a ser interpretadas como um sinal de que Lula assumiu mesmo o cargo no Governo para escapar à prisão. Nas gravações divulgados pelo canal de televisão Globo News, Dilma diz a Lula que mandou alguém entregar o termo de posse do ex-Presidente como ministro para o caso de ser necessário. As conversas foram gravadas pela Polícia Federal com autorização judicial antes de Dilma anunciar publicamente que Lula seria ministro chefe da Casa Civil.

  • Videoamador mostra grupo a atar tocha a um touro
    1:33
  • PJ investiga forma como o FC Porto obteve os e-mails
    1:58

    Desporto

    Enquanto o campeonato português de futebol está de férias do relvado, nos bastidores continua uma guerra aberta por causa dos e-mails. O FC Porto entregou à Polícia Judiciária toda a documentação disponível do chamado caso dos e-mails, que envolve o Benfica num alegado esquema de corrupção. O pedido foi feito pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ. A forma como o FC Porto obteve os e-mails também está a ser investigada pela Polícia Judiciária.

  • Manifestantes bloquearam Caracas

    Mundo

    Milhares de pessoas bloquearam esta sexta-feira as ruas de Caracas e de outras cidades, em protesto contra a repressão e o assassinato de manifestantes pelas forças de segurança.