sicnot

Perfil

Mundo

EUA e Coreia do Sul concluem maior exercício militar de sempre

A Coreia do Sul e os Estados Unidos concluíram hoje o exercício Key Resolve, uma das manobras militares conjuntas iniciadas este mês em território sul-coreano e que contribuíram para elevar a tensão com a vizinha Coreia do Norte.

O exercício, que desde o passado dia 07 de março mobilizou cerca de 7.000 efetivos do Exército dos Estados Unidos e cerca de 10 mil soldados da Coreia do Sul, terminou oficialmente hoje, confirmou à Efe um representante da Defesa de Seul.

O Key Resolve deste ano testou estratégias de combate conjuntas nunca antes ensaiadas e realizou o exercício OPLAN 5015, que simula a inutilização de armas de destruição massiva e a preparação das tropas para um ataque preventivo.

Além disso, contou com mais soldados e equipamentos em comparação com os anos anteriores, numa demonstração militar dos dois aliados em resposta ao ensaio nuclear de janeiro e lançamento de um foguete espacial em fevereiro efetuados pela Coreia do Norte.

Em resposta a estas manobras, o regime norte-coreano de Kim Jong-un ameaçou com ataques preventivos com armas nucleares e realizou testes de mísseis de diversos tipos, o último dos quais hoje, com projéteis Rodong de médio alcance.

Além do Key Resolve, no passado dia 07 foi iniciado o exercício militar Foal Eagle, que se estende até ao final de abril.

Ambos são as maiores manobras executadas até ao momento na península coreana e no total envolvem mais de 300 mil militares sul-coreanos e 17 mil norte-americanos.

Os Estados Unidos mantêm 28.500 militares na Coreia do Sul de forma permanente e comprometem-se a defender o seu aliado em caso de conflito com a Coreia do Norte, como um legado da Guerra da Coreia (1950-53).

Lusa

  • Um retrato devastador do "pior dia do ano"
    2:47
  • Um olhar sobre a tragédia através das redes sociais
    3:22
  • "Estão a gozar com os portugueses, esta abordagem tem de mudar"
    6:45

    Opinião

    José Gomes Ferreira acusa as autoridades e o poder político de continuarem a abordar o problema da origem dos fogos de uma forma que considera errada. Em entrevista, no Primeiro Jornal, o diretor adjunto da SIC, considera que a causa dos fogos "é alguém querer que a floresta arda". José Gomes Ferreira sublinha que não se aprendeu com os erros e que "estão a gozar com os portugueses".

    José Gomes Ferreira

  • "Os portugueses dispensam um chefe de Governo que lhes diz que isto vai acontecer outra vez"
    6:32

    Opinião

    Perante o cenário provocado pelos incêndios, os portugueses querem um chefe de Governo que lhes diga como é que uma tragédia não volta a repetir-se e não, como disse António Costa, que não tem uma fórmula mágica para resolver o problemas dos fogos florestais. A afirmação é de Bernardo Ferrão, da SIC, que questiona ainda a autoridade da ministra da Administração Interna para ir a um centro de operações, uma vez que é contestada por toda a gente.

  • Portugal precisa de "resultados em contra-relógio, após décadas de desordenamento florestal"
    1:18