sicnot

Perfil

Mundo

Ex- presidente Collor de Mello deixa partido em solidariedade com Dilma

O ex-Presidente brasileiro Fernando Collor de Mello abandonou hoje o Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), pelo qual é senador, por discordar do apoio partidário à destituição da Presidente Dilma Rousseff.

© Ueslei Marcelino / Reuters

Collor de Mello, que é senador pelo estado de Alagoas, critica o rumo da formação de centro-esquerda, que apoiou no passado a Presidente, Dilma Rousseff.

A presidente do partido, Cristiane Brasil, passou a ser uma das principais apoiantes do processo de "impeachment" (processo de destituição) da atual chefe de Estado.

"Este governo acabou, não tem mais condições morais de continuar, e é preciso que o diretório nacional do PTB e sua bancada parlamentar estejam absolutamente unidas em favor do povo brasileiro", disse Cristiane Brasil.

Collor renunciou à Presidência do Brasil em 1992, depois de o Congresso brasileiro ter movido um processo de destituição, por suspeitas de corrupção.

Na sequência daquela ação, Collor de Mello ficou privado de direitos políticos durante oito anos, tendo regressado à cena política em 2002.

Lusa

  • Mário Centeno lidera hoje a primeira reunião do Eurogrupo
    1:56
  • Eleição de Rio "embaraça" PCP e BE
    0:34

    Opinião

    Luís Marques Mendes considera que a eleição de Rui Rio veio criar embaraço ao PCP e Bloco de Esquerda. O comentador da SIC considera que a promessa de que venha a haver pactos de regime entre PS e PSD é motivo de preocupação para os parceiros do Governo.

  • Quem são os arguidos da operação Fizz
    2:29

    País

    É já considerado o julgamento do ano da justiça portuguesa e o caso que está a abalar as relações entre Portugal e Angola. O processo da operação Fizz tem quatro arguidos, mas um deles, já é certo, não irá sentar-se esta segunda-feira no banco dos réus.

  • Que shutdown é este que paralisou os EUA?
    2:27
  • Casal que mantinha filhos acorrentados queria participar num reality show
    3:15
  • Quase 100 atletas testemunharam contra médico Larry Nassar
    1:38

    Desporto

    Quase 100 atletas e antigas ginastas da seleção dos Estados Unidos da América confrontaram esta semana, em tribunal, o médico Larry Nassar, acusado de assédio sexual. Em dezembro, o clínico foi condenado a 60 anos de prisão por um tribunal do Michigan, por posse de pornografia infantil.