sicnot

Perfil

Mundo

ONU diz que testes com mísseis da Coreia do Norte são violação flagrante

Os testes de mísseis da Coreia do Norte são uma violação "flagrante" das resoluções da ONU, que proíbem tais lançamentos, disse hoje o enviado norte-americano, antes das conversações urgentes no Conselho de Segurança.

 A Coreia do Norte assegura que o lançamento que fez hoje de um foguete de longo alcance foi bem sucedido e que colocou em órbitra um satélite espacial de observação terrestre.

A Coreia do Norte assegura que o lançamento que fez hoje de um foguete de longo alcance foi bem sucedido e que colocou em órbitra um satélite espacial de observação terrestre.

© KCNA KCNA / Reuters

A Coreia do Norte realizou na quinta-feira à noite dois lançamentos de mísseis que estavam "proibidos" pelas resoluções das Nações Unidas.

Os testes vão levar as Nações Unidas a realizar consultas urgentes para discutir a "provocação", disse a embaixadora norte-americana Samantha Power, acrescentando que a ação é um desafio claro de Pyongyang ao Conselho de Segurança.

Há duas semanas, o Conselho de Segurança impôs as sanções mais fortes (até à data) à Coreia do Norte, depois do quarto teste nuclear realizado e de um lançamento de um 'rocket', que foi visto como um teste de míssil balístico disfarçado.

"Esperamos que o Conselho de Segurança esteja unido para dizer à Coreia do Norte para alterar a sua política imediatamente", disse o embaixador da ONU no Japão Motohide Yoshikawa, acrescentando que o último lançamento foi "muito, muito inapropriado".

O secretário-geral das Nações Unidas (Ban Ki-moon) classificou o disparo dos dois mísseis como "profundamente perturbador", defendendo que Pyongyang tem de acabar urgentemente com "estas ações inflamatórias".

Ban Ki-moon apelou ainda à Coreia do Norte para começar a cumprir as resoluções da ONU que impedem o país de desenvolver tecnologia de mísseis.

Lusa

  • Governo garante que Portugal não desperdiçou nenhum fundo de ajuda alimentar
    1:18

    País

    O ministro da Solidariedade e Segurança Social garante que Portugal não desperdiçou nenhum fundo europeu de ajuda alimentar. Vieira da Silva respondeu, esta manhã, à notícia avançada pelo Jornal de Notícias que dava conta de que, este ano, o país teria desperdiçado 28 milhões de euros de um fundo europeu porque o programa ainda não está operacional.