sicnot

Perfil

Mundo

Ex-ditador tunisino Ben Ali condenado a mais 10 anos de prisão

O presidente tunisino deposto Zine El Abidine Ben Ali, no exílio na Arábia Saudita desde 2011, foi condenado novamente como contumaz, desta vez a 10 anos de prisão por "abuso de poder", afirmou o porta-voz do tribunal.

© Jamal Saidi / Reuters

O ex-ditador foi condenado em vários processos nos últimos cinco anos, sobretudo por corrupção. Ele também foi condenado a prisão perpétua pela sangrenta repressão de protestos durante a revolução (338 mortes).

O tribunal de primeira instância de Tunes condenou Ben Ali na quinta-feira numa outra sentença de 10 anos de prisão por ter considerado que "usou a sua qualidade [de presidente] para conceder vantagens injustificadas, causando prejuízo para a Administração" num caso relacionado com uma agência de publicidade, disse à AFP o porta-voz da barra do tribunal Kamel Barbouche, confirmando informações da imprensa, sem acrescentar outros detalhes.

Ben Ali, que vive discretamente em Jeddah, na Arábia Saudita, governou a Tunísia com mão de ferro durante 23 anos (1987-2011).

Lusa

  • "Sempre nos disseram que bastava o Aves ganhar para estar na Liga Europa"
    0:34

    Desporto

    O Presidente da SAD do Desportivo das Aves garante que não houve esquecimento ou atraso na inscrição do clube na Liga Europa. Luiz Andrade afirma que sempre lhe disseram que bastava vencer a Taça de Portugal para marcar presença na competição e que ainda não sabe se o clube pode ou não jogar a fase de grupos da competição europeia.

  • "Fui violada por Harvey Weinstein aqui em Cannes"
    1:02

    Cultura

    A cerimónia de encerramento do Festival de Cinema de Cannes ficou ainda marcada pelo discurso de Asia Argento. A atriz italiana que acusou Harvey Weinstein de a ter violado justamente numa das edições do festival de Cannes, e que há mais abusadores à solta.

  • As primeiras imagens das quatro crias da lince Malva
    0:20
  • Exército sírio declara Damasco "totalmente segura"

    Mundo

    O exército sírio proclamou esta segunda-feira a capital Damasco e também os arredores, como locais "totalmente seguros". O anúncio foi feito em clima de festa, depois de os militares terem reconquistado os bairros do sul da cidade, até agora nas mãos do Daesh.