sicnot

Perfil

Mundo

Condutor do autocarro de Tarragona responde por "13 homicídios por imprudência"

O condutor do autocarro que sofreu hoje um acidente em Freginals (Tarragona, Espanha), causando a morte a 13 estudantes, vai responder na segunda-feira perante um juíz por "13 delitos de homicídio por imprudência", noticiou o jornal La Vanguardia.

JAUME SELLART

De acordo com o conselheiro de Interior (Administração Interna) da Generalitat (governo regional da Catalunha), Jordi Jané, o condutor foi ouvido hoje de manhã pelos Mossos d'Esquadra (polícia autonómica catalã) na qualidade de "investigado", devido à possibilidade de ter cometido algum delito. As análises que lhe fizeram para detetar drogas ou álcool deram ambas "negativo".

No entanto, o jornal catalão La Vanguardia noticiou hoje que o condutor - um motorista com 17 anos de experiência em autocarros e sem nenhum acidente prévio,vai ser ouvido como "imputado" (figura penal espanhola equivalente ao "arguido" em Portugal) por "13 delitos de homicídio por imprudência".

Os investigadores puseram desde cedo a hipótese de o condutor ter adormecido ao volante. Já o Governo regional e o Governo central em Madrid atribuíram o acidente, logo pela manhã, a "fatores humanos", descartando qualquer avaria técnica no autocarro.

Jordi Jané reiterou que as marcas deixadas pelos pneus do autocarro indicam que houve "uma manobra repentina em que [o autocarro] vai repentinamente para a direita e, de repente, dá-se uma guinada de volante para a esquerda, provocando um gravíssimo impacto", no caso um "acidente fatal".

O acidente causou pelo menos 13 mortos, todas raparigas estudantes do programa Erasmus e estrangeiras, bem como 50 feridos, dos quais 23 ainda permanecem hospitalizados. Seis feridos encontram-se "em estado crítico" e foram transferidos para Barcelona.

A Proteção Civil da Generalitat indicou que no autocarro acidentado viajavam estudantes do Peru, Bulgária, Polónia, Irlanda, Palestina, Japão, Ucrânia, República Checa, Nova Zelândia, Reino Unido, Itália, Hungria, Alemanha, Suécia, Noruega e Suíça.

O acidente aconteceu às 6:00 da manhã locais, quando o autocarro da empresa Autocares Alejandro que circulava na autoestrada AP-7, junto a Freginals, em Tarragona, rumo a Barcelona perdeu o controlo, atravessou o separador e ficou voltado no sentido sul, colidindo com outro veículo. Envolveu 63 pessoas: o condutor e os 60 passageiros do autocarro, bem como duas pessoas que seguiam no ligeiro.

Sobre o ligeiro, que circulava em direção contrária, Jordi Jané declarou: "é certo que [que os seus dois ocupantes ] não têm qualquer culpa". Os dois ocupantes do ligeiro permanecem hospitalizadas.

Esta colisão é um dos acidentes de trânsito mais graves que ocorreram em Espanha desde 2000, com envolvimento de um autocarro de passageiros.

A 6 de julho de 2000 um autocarro no qual viajavam alunos catalães colidiu com um camião de transporte de gado na cidade de Soria Golmayo, provocando vinte mortos e treze feridos graves.

Lusa

  • Segundo acidente mais grave dos últimos 15 anos em Espanha mata 13 estudantes
    2:47

    Mundo

    Em Espanha o segundo acidente mais grave dos últimos 15 anos matou treze pessoas que seguiam dentro de um autocarro numa autoestrada da Catalunha, junto a Tarragona. A viatura despistou-se e bateu num carro ligeiro. O choque violento que fez ainda 43 feridos, a maioria são estudantes, estrangeiros que estudavam em Espanha ao abrigo do programa Erasmus. As bandeiras da universidade de Barcelona já estão a meia haste.

  • Acidente com autocarro mata 13 jovens na Catalunha
    2:16

    Mundo

    Treze jovens morreram esta manhã num violento acidente de viação em Tarragona, numa autoestrada da Catalunha. Da colisão entre um autocarro com 56 passageiros, a maioria estudantes de Erasmus em Barcelona de várias nacionalidades, e um veículo ligeiro, resultaram também pelo menos 40 feridos, alguns com gravidade. Ao início da tarde, as autoridades retificaram o número de vítimas mortais para 13 e não 14 como foi avançado de manhã.

  • Novo Banco vai reestruturar dívida de Luís Filipe Vieira
    1:22

    Desporto

    O Novo Banco vai reestruturar parte da dívida da empresa de Luís Filipe Vieira, que ronda os 400 milhões de euros. Parte dos ativos da empresa foram transferidos para um fundo para serem rentabilizados no prazo de cinco anos. Esse fundo está a ser gerido pelo vice-presidente do Benfica.

  • Dono de fábrica que ardeu na Anadia diz que produção não vai ser afetada
    2:04
  • Saco azul do BES pagou a 106 pessoas e 96 avenças ocultas
    2:21

    Economia

    Pelo menos 106 pessoas receberam dinheiro da Espírito Santo Enterprises, a companhia offshore criada nas Ilhas Virgens Britânicas e que terá funcionado como um gigantesco saco azul do Grupo Espírito Santo. O jornal Expresso revelou os primeiros vinte nomes da lista, entre os quais estão Zeinal Bava, antigo CEO da PT, e Manuel Pinho, ex-ministro da economia do Governo de José Sócrates.

  • Tragédia em Vila Nova da Rainha aconteceu há uma semana
    7:18
  • Doze meses de polémicas, ameaças e promessas
    3:52