sicnot

Perfil

Mundo

Igreja Católica venezuelana pede ao Governo para proteger cidadãos da criminalidade

A Igreja Católica denunciou este domingo que existem zonas da Venezuela "em mãos da criminalidade" e apelou ao Governo venezuelano para garantir proteção aos cidadãos e para que combata o narcotráfico e a corrupção.

© Tony Gentile / Reuters

"Temos que evitar o caminho do crime e da morte. É uma pena que haja tanta gente nas escuridão da morte, como os que mataram em Tumeremo (recente massacre de mineiros). É uma pena que tenham (o Executivo) escondido o caso. Dizem que não aconteceu nada, mas há 27 mortos com tiros na cabeça", disse o arcebispo de Caracas.

Monsenhor Jorge Urosa Savino falava numa concorrida missa de Domingo de Ramos, que teve lugar na Catedral de Caracas, durante a qual recordou que o massacre dos mineiros ocorreu a 4 de março e foi denunciado pelos familiares das vítimas e pela própria Igreja, o que mais tarde veio a ser confirmado pelas autoridades.

Por outro lado denunciou que na Venezuela "há gente que tem enriquecido roubando ou vendendo alimentos a preços elevados" numa alusão à atividade dos "bachaqueros", nome local dado aos vendedores informais que compram, açambarcam e depois revendem produtos básicos escassos no mercado local a preços mais caros.

"Tudo isto é a escuridão da morte. Por isso, nesta Semana Santa devemos aproximar-nos de Deus e deixar essa escuridão. Há zonas do país que estão nas mãos de criminosos. E zonas de paz onde (as autoridades) não enviam polícias e que também estão controladas por criminosos", disse.

Por outro lado, recordou que o papa Francisco apela para se "contemplar a infinita misericórdia de Deus, a valorizá-la e a senti-la" e pediu ao Governo para libertar os presos políticos e à população para "não enveredar pelo caminho do narcotráfico, do ódio, da amargura, da corrupção administrativa e da busca de dinheiro sobre todas as coisas".

Jorge Urosa Savino recordou que Jesus não se metia na política e por isso "decidiram eliminá-lo, porque lhes estava a mudar a religião" e fez um paralelo com a situação venezuelana onde as pessoas estão a ser discriminadas pela tendência política.

"Há muita gente sofrendo pela tristeza, pelo abandono, o fracasso, pela doença de um familiar e até pela discriminação no trabalho", disse.

Por outro lado, em declarações aos jornalistas, o arcebispo lamentou que "o Governo venezuelano tenha imposto um modelo económico marxista-comunista" que tem deteriorado a produção no país e causado a falta de abastecimento de produtos.

"Não podemos continuar como vamos, com a escassez de alimentos, o racionamento de eletricidade, entre outros problemas. O Governo deve compreender que isso não pode continuar, tem de haver um bom diálogo para solucionar esta situação e para que o país possa avançar", disse.

Segundo Jorge Urosa Savino, a visita que o Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, deverá realizar ainda hoje a Havana, Cuba, "é conveniente para a Venezuela", vincando que "é necessário um diálogo internacional para procurar uma solução para a crise económica, política e social" venezuelana.

Lusa

  • As primeiras decisões do Presidente Trump
    1:39
  • "Há sobretudo um fosso entre o discurso que Trump faz e os de Obama"
    6:13

    Opinião

    Cândida Pinto e Ricardo Costa analisaram a tomada de posse de Donald Trump. O diretor de informação da SIC disse que o discurso de Trump "mexe com a sua base de apoio" e defende que "a grande questão não vai ser a relação com a Rússia, mas sim com a China". Já a Editora de internacional disse que o discurso foi "voltado para dentro, nacionalista, partidarista, com ataque à elite de Washington".

    Ricardo Costa e Cândida Pinto

  • Celebridades protestam contra Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Cantora brasileira conhecida pela "Lambada" terá sido assassinada
    1:25

    Mundo

    Terá sido assassinada a cantora brasileira conhecida em Portugal pela "lambada", um ritmo que marcou o fim dos anos 90. Foi encontrada carbonizada dentro do próprio carro depois de assaltada em casa. Três suspeitos suspeitos do homicídio da cantora Loalwa Braz foram já detidos.