sicnot

Perfil

Mundo

Português ferido em atentado na Turquia deverá ter alta amanhã

O cidadão português ferido no atentado suicida de sábado em Istambul vai ficar mais um dia em observação, e deverá ter alta na segunda-feira, disse hoje à Lusa fonte da Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas.

© Osman Orsal / Reuters

"O adiamento da alta hospitalar deve-se à necessidade de o manter sob observação, por se ter queixado de dores no pescoço e na cabeça, embora esteja consciente e tranquilo", acrescentou a fonte.

O ataque suicida em Istambul provocou cinco mortos e 36 feridos, 12 deles estrangeiros e o seu autor tinha ligações com o grupo terrorista autoproclamado Estado Islâmico (EI), segundo as autoridades turcas.

A fonte da Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas disse ainda à Lusa que o cidadão português foi ontem transferido para um hospital com cuidados neurológicos.

"Está a ser acompanhado pelo cônsul (de Portugal) e por familiares, que chegaram hoje de manhã (à Turquia). São eles que vão garantir o seu regresso a Portugal", disse ainda a mesma fonte.

O cidadão português encontra-se atualmente na Turquia a trabalhar numa empresa portuguesa.

Lusa

  • A fuga dos PIDES
    20:08
  • Dominado incêncio no centro de tratamento de resíduos da Tratolixo
    1:55

    País

    O fogo na Tratolixo, em Trajouce, deflagrou esta segunda-feira à noite. As chamas foram controladas a meio da manhã pelos bombeiros. No local estão 133 operacionais, apoiados por 51 veículos. O fogo não fez vítimas nem danos materiais. O vento dificultou o combate às chamas.

  • Duas execuções no mesmo dia pela primeira vez em 17 anos nos EUA

    Mundo

    O estado norte-americano do Arkansas (sul) executou, na noite de segunda-feira, dois condenados à morte, o que sucede pela primeira vez em 17 anos no país, anunciou a procuradora-geral daquele estado. Jack Jones e Marcel Williams, condenados separadamente na década de 1990 à pena capital por violação e assassínio, receberam uma injeção letal depois de diferentes tribunais terem rejeitado os respetivos recursos, afirmou Leslie Rutledge, em comunicado.