sicnot

Perfil

Mundo

ONU diz que ainda não se fez "o suficiente" para eliminar a discriminação racial

A Organização das Nações Unidas (ONU) reconheceu hoje que ainda não se fez "o suficiente" para eliminar a discriminação racial, lamentando a "onda de intolerância", assente em "oportunismo político", que varre o mundo atualmente.

© Denis Balibouse / Reuters

Na mensagem divulgada hoje a propósito do Dia Mundial para a Eliminação da Discriminação Racial, o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, assinala que "o mundo percorreu, sem dúvida, um longo caminho para assegurar a igualdade de direitos e a não discriminação".

Porém, assiste-se atualmente "a uma onda de intolerância, visões racistas e violência impulsionada pelo ódio", alerta, sublinhando que "a discriminação racial e a violência contra certas comunidades têm vindo a aumentar".

Ban Ki-moon constata que "as dificuldades económicas e o oportunismo político estão a desencadear o aumento das hostilidades em relação às minorias", apontando o caso concreto da "violência contra refugiados e migrantes e, em particular, contra os muçulmanos".

Esse "oportunismo político" tem partido, sobretudo, de partidos de extrema-direita, que "estão a fomentar divisões e mitos perigosos", mas também "os partidos do centro começaram a endurecer as suas posições", realça o máximo responsável da ONU.

"A xenofobia está a aumentar de forma alarmante em países outrora moderados", avalia Ban Ki-moon, que, ao "risco de fratura social, instabilidade e conflito", contrapõe "os direitos e a dignidade para todos, a diversidade e o pluralismo".

Lusa

  • Encontrados destroços do avião que caiu no Irão

    Mundo

    As autoridades iranianas encontraram destroços do avião que caiu no domingo no sudeste do país, matando as 66 pessoas que seguiam a bordo, revelou um porta-voz da Guarda Revolucionária, o exército de elite do regime.

  • 2,6 milhões de bebés morrem antes de completar um mês

    Mundo

    Os recém-nascidos no Paquistão, República Centro-Africana e Afeganistão são os que têm menor probabilidade de sobreviver, de acordo com um relatório da Unicef que revela que todos os anos 2,6 milhões de crianças morrem antes de completar um mês. Sobretudo nos países mais pobres do mundo, o número de mortes de recém-nascidos a nível global mantém-se assustadoramente elevado.

  • Galp regista lucro de 602 M€ em 2017 

    Economia

    A Galp registou um lucro de 602 milhões de euros no ano passado. Uma subida de 25 por cento em relação a 2016. De acordo com a empresa, os resultados devem-se sobretudo ao aumento da produção de petróleo e gás natural no Brasil, bem como o crescimento dos negócios da refinação e distribuição.

  • Mulher enterrada viva no Brasil
    1:13

    Mundo

    Uma mulher de 37 anos terá sido enterrada viva no oeste da Bahia, no Brasil. A certidão de óbito aponta um choque séptico como a causa da morte, mas os ferimentos com que foi encontrada no interior do caixão indicam um possível erro. Os moradores de casas vizinhas do cemitério municipal onde Rosângela dos Santos foi enterrada ouviram gritos vindos do túmulo.

  • "Os Estados Unidos são uma sociedade de pistoleiros"
    3:47
  • Trump desafia Oprah a candidatar-se para ser derrotada

    Mundo

    Apesar de Oprah Winfrey ter excluído uma eventual candidatura às eleições presidenciais dos Estados Unidos da América, Donald Trump ainda não se esqueceu dos rumores e desafiou a apresentadora a candidatar-se em 2020. Através do Twitter, o Presidente norte-americano disse ainda que assim poderia ser "exposta e derrotada como todos os outros".

    SIC