sicnot

Perfil

Mundo

Obama deixa Havana depois de uma visita histórica de três dias

O Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, deixou esta terça-feira Cuba, depois de uma visita histórica de três dias, durante a qual se declarou a favor das liberdades civis e da aproximação entre os dois países.

© Carlos Barria / Reuters

Barack Obama e a sua família foram acompanhados ao aeroporto pelo presidente cubano, Raúl Castro, de onde partiu às 16:20 locais (20:20 em Lisboa) em direção à Argentina, onde são esperados para uma visita de dois dias.

Obama foi o primeiro líder norte-americano a visitar Cuba nos últimos 88 anos.

Após mais de 50 anos sem relações diplomáticas, os Estados Unidos e Cuba anunciaram a 17 de dezembro de 2014 uma aproximação histórica entre os dois países, separados unicamente pelos 150 quilómetros do Estreito da Florida.

Depois de vários meses de rondas negociais, os líderes norte-americano Barack Obama, e cubano, Raul Castro, anunciaram a 01 de julho de 2015 o restabelecimento das relações diplomáticas e a abertura de embaixadas nas capitais de cada país.

Lusa

  • Luís Pina indiciado por quatro crimes de tentativa de homicídio
    2:24
  • Ministro "mais descansado" com relatório sobre Almaraz, ambientalistas contestam
    2:01

    País

    O ministro do Ambiente diz estar mais descansado depois de conhecer o relatório técnico que considera o armazém de resíduos nucleares em Almaraz uma solução adequada. Já as associações ambientalistas e os partidos criticam o parecer positivo à construção e querem ouvir os ministros do Ambiente e dos Negócios Estrangeiros no Parlamento.

  • Marcelo recebido por multidão na Ovibeja
    2:52
  • Líderes europeus unidos para iniciar saída do Reino Unido
    2:08
  • 100 dias de Trump em 04'30''
    4:33

    Pequenas grandes histórias

    Donald Trump tomou posse como 45º Presidente dos EUA dia 20 de janeiro de 2017, faz este sábado, 100 dias. Prometeu grandes mudanças, mas os planos acabaram por chocar de frente com a realidade e a burocracia de Washington, como foi o caso do Obamacare. Foi a primeira ordem executiva que assinou, no dia em que tomou posse, mas a revogação está longe de acontecer.