sicnot

Perfil

Mundo

Identificados 5221 e detidos mais de 200 na sequência do atentado em Lahore

As autoridades paquistanesas identificaram mais de 5.221 pessoas e mantêm detidas mais de 200 pessoas na sequência do atentado de domingo que causou pelo menos 72 mortos num parque de Lahore, disse hoje fonte oficial.

© Faisal Mahmood / Reuters

Em conferência de imprensa, o ministro da Justiça da província do Punjab, Rana Sanaullah, afirmou que a grande maioria das pessoas identificadas foi libertada depois de ser interrogada e acrescentou que as forças de segurança lançaram uma operação antiterrorista na região.

Sanaullah frisou que dos 5.221 identificados, 5.002 foram libertados, depois de um interrogatório inicial, tendo ficado detidos 229.

A polícia, as forças especiais e o Departamento Antiterrorista participam na operação conjunta, disse.

Na tarde de domingo, um bombista suicida do grupo talibã Jamaat ul Ahrar fez-se explodir num parque de Lahore, quando um grande número de famílias se encontrava no local.

Pelo menos 72 pessoas morreram e mais de 350 ficaram feridas no pior atentado terrorista no país desde o ataque contra uma escola de Peshawar, em que morreram 125 alunos, em 2014.

Na segunda-feira, num discurso transmitido pela televisão, o primeiro-ministro paquistanês, Nawaz Sharif, prometeu lutar contra o terrorismo até ser erradicado.

Lusa

  • Presidente visita zonas afetadas pelos fogos
    2:00

    País

    Numa visita inesperada, o Presidente da República esteve esta manhã em Vouzela, um dos concelhos mais atingidos pelos incêndios. Marcelo Rebelo de Sousa vai estar nos próximos dias no distrito de Viseu.

  • "Viverei com o peso na consciência até ao último dia"
    3:00
  • A fotografia que está a correr (e a impressionar) o Mundo

    Mundo

    A fotografia de uma cadela a carregar, na boca, o cadáver calcinado da cria está a comover o mundo. Entre as muitas fotografias que mostram o cenário causado pelos incêndios que devastaram a Galiza nos últimos dias, esta está a causar especial impacto. O registo é do fotógrafo Salvador Sas, da agência EFE. A imagem pode impressionar os mais sensíveis.