sicnot

Perfil

Mundo

Polícia aconselha mulher a desistir de queixa em caso de flatulência

Uma mulher sueca apresentou queixa à polícia porque o homem com quem tinha combinado relações sexuais soltou, alegadamente, um flato, como vingança pela rejeição dela à última hora.

Laholm, Suécia

Laholm, Suécia

Helcapas

O insólito foi relatado pela própria queixosa à edição eletrónica do diário Hallandsposten, em que lamenta que a polícia de Laholm, município no sul da Suécia, a tenha aconselhado a esquecer o caso, abandonando quaisquer diligências por "falta de provas".

A queixosa admitiu que tinha combinado com o homem ter relações sexuais, que incluíam o coito anal, mas que, na altura do ato, acabou por arrepender-se e rejeitar a ideia.

O homem, escreve o diário sueco, que não identifica nenhum dos intervenientes, terá então ficado "irritado", largando um cheiro nauseabundo num episódio de flatulência.

Iniciada a investigação, e depois de averiguar a residência da queixosa, a polícia não encontrou quaisquer provas, "nem do cheiro", lê-se no diário sueco.

"Cheirava mesmo muito mal", escreveu a mulher na queixa apresentada na polícia local, pedindo que o homem fosse condenado por assédio que, no limite, seria punível com um ano de prisão.

A polícia aconselhou a mulher a abandonar a queixa.

"É impossível provar que o homem tivesse feito de propósito para criar um ambiente malcheiroso na casa", disse Kenneth Persson, porta-voz da polícia local.

Com Lusa

  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.