sicnot

Perfil

Mundo

Polícia aconselha mulher a desistir de queixa em caso de flatulência

Uma mulher sueca apresentou queixa à polícia porque o homem com quem tinha combinado relações sexuais soltou, alegadamente, um flato, como vingança pela rejeição dela à última hora.

Laholm, Suécia

Laholm, Suécia

Helcapas

O insólito foi relatado pela própria queixosa à edição eletrónica do diário Hallandsposten, em que lamenta que a polícia de Laholm, município no sul da Suécia, a tenha aconselhado a esquecer o caso, abandonando quaisquer diligências por "falta de provas".

A queixosa admitiu que tinha combinado com o homem ter relações sexuais, que incluíam o coito anal, mas que, na altura do ato, acabou por arrepender-se e rejeitar a ideia.

O homem, escreve o diário sueco, que não identifica nenhum dos intervenientes, terá então ficado "irritado", largando um cheiro nauseabundo num episódio de flatulência.

Iniciada a investigação, e depois de averiguar a residência da queixosa, a polícia não encontrou quaisquer provas, "nem do cheiro", lê-se no diário sueco.

"Cheirava mesmo muito mal", escreveu a mulher na queixa apresentada na polícia local, pedindo que o homem fosse condenado por assédio que, no limite, seria punível com um ano de prisão.

A polícia aconselhou a mulher a abandonar a queixa.

"É impossível provar que o homem tivesse feito de propósito para criar um ambiente malcheiroso na casa", disse Kenneth Persson, porta-voz da polícia local.

Com Lusa

  • Eis os novos heróis de Vila de Aves
    3:03
  • Desportivo das Aves fora da Liga Europa

    Desporto

    O Desportivo das Aves não vai à Liga Europa e o Sporting terá entrada direta na fase de grupos. Apesar da conquista da Taça de Portugal, a equipa avense não se licenciou em tempo útil para poder participar na prova da UEFA, apurou a SIC.

  • E agora, Sporting? Semana de decisões e incertezas
    2:53
  • "Para primeiro dia de pesca da sardinha, não foi mau"
    2:19
  • "Desfiliei-me do PS mas continuo socialista"
    1:29

    País

    José Sócrates garantiu este domingo que não atacará o PS e que continua a ser socialista. O antigo primeiro-ministro participou num almoço de apoio, em Lisboa, com cerca de 100 pessoas, a maioria anónimos.