sicnot

Perfil

Mundo

Polícia venezuelana investiga assassínio de comerciante português

A polícia venezuelana iniciou as investigações para determinar as circunstâncias que envolveram o assassínio de um comerciante português de 50 anos, ocorrido na cidade de Barcelona, Estado de Anzoátegui, a 320 quilómetros a leste de Caracas.

© Carlos Garcia Rawlins / Reute

Segundo fontes policiais, o corpo do imigrante foi encontrado, na sexta-feira, dentro de uma banheira, na sua residência, em Los Mangles, Barcelona.

As investigações estão a ser realizadas pelo Corpo de Investigações Científica, Penais e Criminalísticas (Cicpc, antiga Polícia Técnica Judiciária).

Fontes não oficiais dão conta de que o imigrante poderá ter sido assassinado por dois indivíduos armados que teriam roubado a sua casa.

Também que, no momento do roubo, o cidadão português se encontrava acompanhado por um familiar que foi agredido, na cabeça, pelos assaltantes.

A insegurança é apontada pelos venezuelanos como uma das principais preocupações dos cidadãos, afetando por igual tanto nacionais como estrangeiros radicados no país.

Com frequência a população bloqueia estradas em protesto pela alta insegurança, assunto que ocupa diariamente várias páginas dos jornais venezuelanos.

Lusa

  • Aplicação WhatsApp acusada de permitir conversas secretas entre terroristas
    1:45
  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".