sicnot

Perfil

Mundo

Facebook ajuda cegos a "ver" fotografias

"Esta imagem pode conter, duas pessoas, a sorrir, óculos de sol, céu, ar livre, água". Isto é a Inteligência Artificial do Facebook em ação.

E assim se dá um grande passo para quem não vê.

O Facebook está a usar inteligência artificial para ajudar pessoas com deficiência visual a ler imagens publicadas nos feeds.

A plataforma já tem em funcionamento uma ferramenta que lê as publicações em voz alta.

Agora tem também uma espécie de audio-descrição para imagens publicadas nesta rede social.

Atualmente, os softwares para cegos só conseguem interpretar texto.

Graças à ajuda da Inteligência Artificial, a empresa conseguiu desenvolver o "Automatic Alternative Text", um sistema que descreve as imagens e permite que os softwares para cegos, os chamados screen readers, as leiam.

O sistema já está disponível para os utilizadores do Facebook que usam "screen readers" no sistema iOS mas promete alargar-se a outras plataformas.

Para já, o software consegue reconhecer apenas 80 imagens familiares. Comida, número de pessoas, carros, água, praia, montanha. Há ainda muito a fazer, por isso, quanto mais fotografias entrarem no sistema, melhor.

  • Confirmados dois novos casos de legionella

    Legionella

    Dois novos casos de legionella foram esta quarta-feira confirmados. A informação foi avançada em comunicado pela Direção-Geral da Saúde. Tratam-se de duas pessoas com mais de 80 anos, internadas no Hospital São Francisco Xavier e no Egas Moniz, ambas em situação clínica estável.

  • Quem é o novo Presidente do Zimbabué?
    2:15

    Mundo

    Emmerson Mnangagwa é o sucessor de Robert Mugabe que regressou esta quarta-feira da África do Sul, onde estava refugiado. No primeiro discurso, o Presidente do Zimbabué falou de uma nova democracia no país. Mnangagwa, conhecido como crocodilo, é suspeito de atrocidades na guerra civil pós-independência. 

  • Diminuem as hipóteses de salvar os tripulantes a bordo do submarino argentino
    3:09

    Mundo

    As hipóteses de salvar os tripulantes a bordo do submarino argentino, desaparecido há 8 dias, começaram a diminuir, uma vez que o chamado "tempo de segurança" já foi ultrapassado. A Marinha portuguesa está a acompanhar o caso do submarino que está desaparecido há oito dias. As hipóteses de salvar os tripulantes vão diminuindo.

  • Comprar um carro em segunda mão sem ser enganado 
    8:44
  • O que aprendemos com secas anteriores?
    32:50