sicnot

Perfil

Mundo

Antigo MNE sérvio anuncia candidatura a secretário-geral da ONU

O antigo ministro dos Negócios Estrangeiros sérvio Vuk Jeremic anunciou hoje a sua candidatura a secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU) e adiantou que vai viajar já para Nova Iorque, onde já começaram as audições públicas dos candidatos.

© Mike Segar / Reuters

Jeremic, de 40 anos, sublinhou que "é uma grande honra e privilégio" representar a Sérvia nesta "competição", em declarações à emissora de televisão sérvia B92.

Por outro lado, o diário Vercernje Novosti adianta na sua versão eletrónica que o Governo de Belgrado decidiu apoiar Jeremic como candidato oficial ao cargo. O antigo ministro sérvio presidiu à Assembleia Geral da ONU entre 2012 e 2013.

A sua candidatura não está, no entanto, isenta de polémica, já que o Presidente sérvio, Tomislav Nikolic, é muito crítico em relação a Jeremic e não parecia apoiá-lo até agora.

O mesmo órgão de comunicação social indica que esta nomeação é "de alguma forma, uma surpresa", já que vários altos cargos sérvios tinham indicado previamente que Jeremic não contava com o apoio do seu país.

O ex-governante, que esteve em funções entre 2007 e 2012, anunciou que viajará imediatamente para Nova Iorque, onde hoje começaram as audições públicas aos candidatos a suceder ao atual secretário-geral da ONU, o sul-coreano Ban Ki-moon.

O antigo primeiro-ministro português e ex-alto comissário da ONU para os Refugiados, António Guterres, é um dos candidatos e será ouvido hoje à tarde na sede das Nações Unidas, cerca das 15:00 locais (20:00 em Lisboa).

Os restantes nomes que já oficializaram a candidatura são: a búlgara Irina Bokova, atual diretora geral da Unesco; a neo-zelandesa Helen Clark, ex-primeira-ministra e responsável do Programa da ONU para o Desenvolvimento (PNUD); o ministro dos Negócios Estrangeiros de Montenegro, Igor Luksic; a antiga chefe da diplomacia da Moldávia Natalia Guerman; o macedónio Srgjan Kerim, presidente da Assembleia Geral das Nações Unidas entre 2006 e 2007; a ex-ministra dos Negócios Estrangeiros da Croácia Vesna Pusic e o antigo Presidente esloveno Danilo Turk.

A Europa do Leste é o único grupo regional que não teve ainda um secretário-geral da ONU, pelo que se considera que os candidatos dessa região têm mais possibilidades de ocupar o cargo.

Lusa

  • Barroso reafirma apoio a Guterres na corrida a secretário-geral da ONU
    0:58

    País

    José Manuel Durão Barroso considera difícil mas possível que António Guterres venha a ser eleito secretário-geral das Nações Unidas. Durão Barroso, ex-presidente da Comissão Europeia, reafirmou hoje o apoio à candidatura de Guterres, tal como deu quando foi candidato ao cargo de secretário-geral da Agencia da ONU para os Refugiados.

  • António Costa evita perguntas sobre estágios não remunerados
    1:55
  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Trump adia decisão sobre permanência nos acordos de Paris
    1:48
  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14