sicnot

Perfil

Mundo

Cérebro sob efeito do LSD idêntico ao de um bebé

Um investigação britânica mostra pela primeira vez como o LSD (Dietilamida do Ácido Lisérgico) afeta a atividade do cérebro ao causar complexas alucinações visuais. Os cientistas realizaram experiências que mostram como os componentes psicadélicos afetam a atividade cerebral. Uma das conclusões foi que os efeitos do LSD tornam o cérebro de um adulto idêntico ao de um bebé, dado que a droga torna o cérebro menos compartimentado, libertando a mente. Os autores desta pesquisa consideram que os resultados permitem abrir caminho para a possibilidade de usar drogas psicadélicas no tratamento de doenças psiquiátricas.

Imperial College London

A equipa de investigadores, liderada por Robin Carhart-Harris, do Imperial College de Londres, administrou LSD a 20 voluntários saudáveis num centro preparado para o efeito, ao mesmo tempo que ia fazendo diversos scanners cerebrais através de diferentes técnicas pioneiras que permitiram obter imagens inéditas do cérebro sob efeito da substância, possibilitando o estudo aprofundado do modo de atuação do LSD. Do grupo de voluntários, metade recebeu uma dose de 75 microgramas de LSD e a outra metade recebeu placebo.

A descoberta, publicada no Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS), da Academia de Ciências dos Estados Unidos, mostra o que acontece com o cérebro quando uma pessoa experimenta as diversas alucinações visuais frequentemente associadas ao consumo de LSD. A investigação veio também mostrar as mudanças cerebrais que justificam a profunda alteração do estado de consciência produzido pelo consumo desta droga.

"Em condições normais, a informação dos nossos olhos é processada na zona cerebral situada na parte posterior da cabeça, denominada córtex visual (…) Contudo, quando foi administrado LSD aos voluntários, muitas outras áreas cerebrais contribuíram para o processamento dos estímulos visuais", indicaram os autores da pesquisa.

"O resultado sugere que os efeitos justificam a profunda alteração do estado de consciência que as pessoas frequentemente descrevem perante o efeito de LSD", refere Robin Carhart-Harris.

"Isto também está relacionado com aquilo que as pessoas frequentemente descrevem como dissolução do ego, o que se traduz pela perda da normal consciência do Eu que será substituído por uma relação consigo próprio, como os outros e com a natureza. Esta experiência é por vezes vista de um perspetiva religiosa ou espiritual e parece estar associada a uma melhora do bem estar depois de os efeitos da droga passarem", esclarece o investigador.

À medida que uma pessoa envelhece, o cérebro tem tendência a tornar-se cada vez mais compartimentado, fazendo com que o indivíduo se torne mais rígido nos seus pensamentos, explica Carhart-Harris.

Os efeitos do LSD parecem, assim, aproximar o cérebro de um adulto ao cérebro de um bebé, dado que a droga liberta a mente e a imaginação. É também nesta medida que esta investigação pode abrir portas a novas investigações que visem o estudo desta droga no tratamento de perturbações psiquiátricas, nomeadamente de depressões.

  • Passos nega que resultado das autárquicas ponham em causa liderança do PSD
    7:46
  • PS e PSD trocam acusações sobre Tancos
    1:18
  • Homens vítimas de violência doméstica
    31:17
  • Marcelo mergulha na baía de Luanda
    0:45
  • Marcelo garante que relações com Angola "estão vivas"
    1:50

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa sublinhou esta segunda-feira as boas relações entre Portugal e Angola. À chegada a Luanda para a posse do novo Presidente angolano João Lourenço, o chefe de Estado português aproveitou para tomar um banho de mar.

  • Défice chegou aos 2.034 milhões em agosto
    1:51

    Economia

    O défice do Estado caiu 1.900 milhões de euros até agosto, em comparação com o ano passado. A recuperação da economia ajudou a baixar o défice, com mais receitas e impostos acima do esperado. Já a despesa pública ficou praticamente inalterada e os pagamentos do Estado em atraso subiram.

  • Morreu a egípcia que chegou a pesar 500 quilos

    Mundo

    A egípcia Eman Ahmed Abd El Aty, de 37 anos, que chegou a pesar 500 quilos, morreu num hospital de Abu Dabi, nos Emirados Árabes Unidos, devido a complicações cardíacas na sequência do seu excesso de peso.