sicnot

Perfil

Mundo

Mais de mil migrantes cubanos forçam entrada na Costa Rica

Mais de mil migrantes, a maior parte dos quais cubanos, forçaram hoje a sua entrada na Costa Rica, depois de terem sido impedidos de entrar no Panamá, para tentarem chegar aos Estados Unidos, disse o Governo costa-riquenho.

© Carlos Jasso / Reuters

"Hoje, mais de mil migrantes forçaram a sua entrada na Costa Rica, o que é uma afronta ao povo da Costa Rica", referiu, em comunicado, a Presidência.

Imagens televisivas mostraram confrontos entre os migrantes e as autoridades locais, que tentaram impedir a sua entrada no país.

As janelas de vários veículos e de edifícios foram destruídos nos confrontos.

Segundo o Governo da Costa Rica, nos últimos meses entraram no país cerca de oito mil cubanos.

Os migrantes cubanos tentam chegar aos Estados Unidos depois de uma viagem de várias semanas, que começa no Equador.

Atualmente, os cubanos que chegam por terra aos Estados Unidos estão autorizados a entrar no país, depois de verificados os seus documentos de identidade.

O Governo da Costa Rica alertou que o país não tem capacidade para dar assistência a todos os migrantes.

Na terça-feira, as autoridades migratórias da América Central, Colômbia, Equador, México e Estados Unidos reuniram-se na Costa Rica para tentar encontrar solução para a crise.

Lusa

  • Advogados de Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático
    2:13

    Operação Marquês

    Os advogados de José Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático e garantem que o antigo primeiro-ministro nunca favoreceu Ricardo Salgado ou o Grupo Espirito Santo. Segundo o Expresso, o presidente da Escom, Helder Bataglia, terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, alegadamente para o amigo José Sócrates.

  • Marine Le Pen diz que Brexit terá efeito dominó na UE
    0:39

    Brexit

    Marine Le Pen diz que o Brexit vai ter um efeito dominó na União Europeia. Durante um congresso da extrema-direita, a lider da Frente Nacional francesa afirmou que a Europa vai despertar este ano em que estão marcadas eleiçoes em vários países, como a Alemanha e a Holanda.