sicnot

Perfil

Mundo

Mais de mil migrantes cubanos forçam entrada na Costa Rica

Mais de mil migrantes, a maior parte dos quais cubanos, forçaram hoje a sua entrada na Costa Rica, depois de terem sido impedidos de entrar no Panamá, para tentarem chegar aos Estados Unidos, disse o Governo costa-riquenho.

© Carlos Jasso / Reuters

"Hoje, mais de mil migrantes forçaram a sua entrada na Costa Rica, o que é uma afronta ao povo da Costa Rica", referiu, em comunicado, a Presidência.

Imagens televisivas mostraram confrontos entre os migrantes e as autoridades locais, que tentaram impedir a sua entrada no país.

As janelas de vários veículos e de edifícios foram destruídos nos confrontos.

Segundo o Governo da Costa Rica, nos últimos meses entraram no país cerca de oito mil cubanos.

Os migrantes cubanos tentam chegar aos Estados Unidos depois de uma viagem de várias semanas, que começa no Equador.

Atualmente, os cubanos que chegam por terra aos Estados Unidos estão autorizados a entrar no país, depois de verificados os seus documentos de identidade.

O Governo da Costa Rica alertou que o país não tem capacidade para dar assistência a todos os migrantes.

Na terça-feira, as autoridades migratórias da América Central, Colômbia, Equador, México e Estados Unidos reuniram-se na Costa Rica para tentar encontrar solução para a crise.

Lusa

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15