sicnot

Perfil

Mundo

Ativista angolano Nuno Dala terminou hoje greve de fome

O ativista angolano Nuno Dala, que estava em greve de fome, declarou em carta que apenas hoje terminou o protesto, que visava reclamar direitos, designadamente o acesso às suas contas bancárias.

PAULO JULI\303\203O

A carta, com a data de 14 de abril, assinada por Nuno Dala e a que agência Lusa teve hoje acesso, refere que quinta-feira completou 36 dias de greve de fome, e que a informação de que tinha posto fim à greve "é falsa".

Na quarta-feira, os Serviços Penitenciários confirmaram que Nuno Dala tinha posto fim à greve de fome e que se encontrava em bom estado de saúde, confirmado pelos exames médicos que realizou.

"Entretanto, felizmente, as autoridades cumpriram em grande medida com as minhas exigências. Deste modo, informo que tanto por esta razão como por força dos inúmeros apelos de familiares, colegas, amigos, médicos, etc, minha greve de fome termina às 00:00 horas do dia 15, isto é, amanhã, sexta-feira", declarou o ativista na carta.

O também professor universitário, que integra um grupo de 17 ativistas angolanos, condenados no passado dia 28 de março pelos crimes de atos preparatórios de rebelião e associação de malfeitores, agradeceu a "todos os angolanos e demais pessoas pelo mundo" que apoiaram a sua família das mais diversas formas.

"O agradecimento estende-se também àqueles que o fizeram de forma anónima", lê-se no documento.

Nuno Dala, igualmente em carta, anunciou a sua greve de fome, justificando a decisão com as "violações" dos seus direitos, como a impossibilidade de ter acesso às contas bancárias "para fazer face às necessidades materiais e financeiras" da família.

Reclamava também os resultados de vários exames médicos a que foi submetido no laboratório do hospital militar ou pela devolução de verbas e documentos apreendidos aquando da sua detenção.

Lusa

  • "Cada drama, cada problema, cada testemunho, impressiona muito"
    1:55
  • Clínica veterinária em Tondela recebeu dezenas de animais feridos nos fogos
    2:57

    País

    Tondela foi um dos municípios mais atingidos pelo incêndio, deixando dezenas de animais feridos e perdidos no concelho. Várias clínicas veterinárias são agora um porto de abrigo e, em alguns casos, um ponto de encontro. Muitos dos animais chegaram recolhidos por voluntários e a maior parte dos casos são animais que, no momento de aflição, foram soltos pelos donos e salvos pelo instituto de sobrevivência.

  • Temperaturas sobem até ao final do mês
    1:09

    País

    O tempo não dá tréguas e, até ao final do mês, as temperaturas vão atingir valores acima do normal para esta época do ano. As temperaturas máximas vão subir entre os 25 e os 32 graus. O risco de incêndio aumenta a partir desta segunda-feira em todo o país e os meios aéreos, viaturas, operacionais e equipas de patrulha vão ser reforçados.

  • Maioria das praias do Algarve já não tem nadador-salvador
    2:19

    País

    A lei não obrigada os concessionários a garantir o serviço e, por isso, a esmagadora maioria das praias do Algarve está sem vigilância desde 30 de setembro. Ainda assim, os areais vão atraindo milhares de banhistas com as temperaturas altas que ainda se fazem sentir. Um nadador-salvador recomenda os banhistas a não nadar e, em dias de ondulação, evitar caminhadas à beira-mar.

  • Parlamento catalão vai responder à ativação do artigo 155
    1:54
  • A história por detrás da fotografia que correu (e impressionou) o Mundo

    Mundo

    Depois dos incêndios da semana passada na Galiza, começou a circular na internet e nas redes sociais a imagem de uma cadela que alegadamente levava a sua cria carbonizada na boca. Contudo, a cadela é na verdade macho e chama-se Jacki. Esta é a história do cão que passou os dias após os fogos a recolher animais mortos para os enterrar num campo perto de uma igreja, em Coruxo, Vigo.

    SIC

  • Quando o cão de Macron fez chichi no gabinete do Presidente francês
    0:31