sicnot

Perfil

Mundo

Chimpanzé capturado após fugir de zoo no Japão

Chimpanzé capturado após fugir de zoo no Japão

Um chimpanzé que conseguir escapar de um zoológico no norte do Japão foi capturado depois de ter sido atingido por um dardo tranquilizante, caindo dos cabos de eletricidade onde estava pendurado. Pelo meio, o animal ainda tentou agredir o veterinário. O momento da captura foi testemunhado por muitos e registado em vídeo.

Chacha, um chimpanzé macho de 24 anos de idade, foi dado como desaparecido do Zoo de Yagiyama ontem de manhã. O primata foi visto por várias pessoas a vaguear nas ruas nos arredores.

Para capturar o animal, entretanto "cercado" quando estava pendurado num poste de eletricidade, as autoridades recorreram a uma plataforma elevatória e um veterinário usou uma arma tranquilizante. O tiro foi bem sucedido, mas Chacha ainda tentou ripostar.

Minutos depois, Chacha acabou por sacumbir ao efeito do traquilizante e caiu dos cabos onde estava pendurado, mas a queda foi amparada por funcionários do zoológico, preparados com redes e lencóis.

Apesar da queda, aparentemente doloroso, a imprensa local garante que Chacha está completamente recuperado.

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.