sicnot

Perfil

Mundo

Pelo menos 29 mortos após sismos no Japão

galeria de fotos

Pelo menos 29 pessoas morreram e 1 500 estão feridas após os fortes terramotos nos últimos dias no sudoeste do Japão. O país sofreu o primeiro sismo na passada quinta-feira de magnitude 6,5 da escala de Richter e que resultou em 10 mortos. Ontem, um novo sismo de 7,3 fez pelo menos 19 mortos e disparou o número de feridos para os 1.500.

© KYODO Kyodo / Reuters

© KYODO Kyodo / Reuters

© KYODO Kyodo / Reuters

© KYODO Kyodo / Reuters

© KYODO Kyodo / Reuters

O tremor de terra, ocorrido às 1:25 de sábado (16:25 de sexta-feira em Lisboa), o mais forte de uma série de mais de 100 que atingiram a ilha de Kyushu, particularmente a cidade de Kumamoto, desde a noite de quinta-feira, provocou mais de 1.500 feridos, segundo o mais recente balanço divulgado pela NHK.

O número de vítimas mortais na sequência dos sismos registados desde quinta-feira subiu para um total de 29.

Segundo as autoridades japonesas, citadas pela televisão pública, aproximadamente 69 mil pessoas de Kumamoto deixaram as suas casas.

Inúmeros serviços foram afetados, havendo milhares de habitações sem eletricidade, gás ou água.

De acordo com a televisão pública, o sismo, que continua a ter réplicas, também afetou os transportes. Os voos previstos para hoje com partida ou chegada do aeroporto de Kumamoto foram todos cancelados e o serviço de comboios de alta velocidade ('Shinkansen') em Kyushu suspenso, havendo estradas danificadas em muitas zonas.

Um sismo de magnitude 6,5 foi registado na noite de quinta-feira, na mesma zona, seguido de um outro de 6,4. Os dois abalos provocaram nove mortos e cerca de 900 feridos, 50 com gravidade.

Localizado na junção de quatro placas tectónicas, o Japão sofre anualmente cerca de 20% dos terramotos mais fortes registados no mundo.

Com Lusa

  • Primeiro-ministro hoje na cidade da Praia 

    País

    O primeiro-ministro, António Costa, está hoje em Cabo Verde para a a IV cimeira bilateral entre Portugal e aquele país africano, aproveitando a passagem pela cidade da Praia para inaugurar a escola portuguesa.

  • As polémicas do primeiro mês de Donald Trump como Presidente
    3:17
  • Deputados britânicos debatem hoje petição que desvaloriza visita de Donald Trump

    Mundo

    Os deputados britânicos debatem hoje uma petição que reclama que a futura visita de Estado do Presidente norte-americano, Donald Trump, seja reduzida a uma visita oficial, enquanto dezenas de milhares de pessoas se manifestam sobre o mesmo assunto. Dezenas de milhares de pessoas são esperadas hoje nas ruas de várias cidades do Reino Unido, em protestos organizados para coincidir com a discussão no parlamento (na Câmara dos Comuns) de uma petição 'online' que já tem quase dois milhões de subscritores.

  • Portugal sem resposta de Moçambique sobre português desaparecido em Maputo
    1:25

    País

    Portugal tem tentado, sem sucesso, obter respostas das autoridades moçambicanas sobre o rapto de um empresário português há sete meses. De acordo com a notícia avançada este domingo pelo jornal Público, uma carta enviada há duas semanas pelo Presidente da República ao homólogo moçambicano não teve resposta. O Governo de Moçambique tem ignorado pedidos de informação das autoridades portuguesas.

  • Matteo Renzi demite-se da liderança do Partido Democrático

    Mundo

    O antigo primeiro-ministro italiano Matteo Renzi demitiu-se hoje da liderança do Partido Democrata (PD), uma decisão que faz parte de uma estratégia para retomar o controlo da formação de centro-esquerda, onde uma minoria mais à esquerda ameaça cindir-se.